PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Corinthians de Loss precisa de calma e trabalho em meio às decisões

23/08/2018 06h30

O Corinthians voltou a jogar mal e perdeu para o Fluminense nesta quarta-feira, chegando a quatro jogos sem vitória. Além do resultado, o comportamento da equipe no Maracanã tem de ser motivo de preocupação e trabalho para o técnico Osmar Loss nos próximos dias. O Timão apresenta nervos de quem parece aceitar uma "crise" que não precisa chegar agora.

O gol de Gum foi um reflexo da falta de concentração do time, em mais um gol sofrido em jogada de bola parada, outrora uma das forças do time. Pedro consegue cabecear com facilidade e há um vazio dentro da pequena área, com espaço demais para Gum errar o arremate e ainda assim marcar. Sinais de um time em momento difícil.

Também no primeiro tempo, Romero acabou expulsando em um lance que, se não foi justo, poderia ter sido evitado. O braço jogada que atingiu Digão acabou reduzindo consideravelmente as chances do Corinthians no Rio. O paraguaio, depois de fase iluminada com seis gols em três jogos, chegou a seis sem marcar. Pior para o time, que depende muito neste momento de suas referências.

É hora de trabalho árduo de Osmar Loss e sua comissão ao lado dos líderes do elenco. Loss, que foi chamado de um "grande amigo" pelo esclarecido Danilo Avelar, não pode abandonar suas convicções porque parte considerável da torcida e da crítica quer sua cabeça. No momento ruim, abrir mão do que acredita é suicídio. Parece simples, mas é a forma mais consagrada do futebol: trabalho, trabalho, trabalho.

O comandante precisa contar com uma "forcinha" de seus cabeças, como Fagner, Henrique, Jadson, até Clayson, a espinha dorsal do time. No momento, só Cássio tem mantido o nível de que se espera. É hora de reagir, pois os próximos jogos permitem mudar todo o cenário.

Primeiro, o lanterna Paraná no próximo sábado. Já na quarta-feira, a decisão das oitavas de final da Libertadores contra o Colo-Colo, duelo perfeitamente reversível após a derrota de 1 a 0 no Chile. Por fim, no outro sábado, Atlético-MG. Os três jogos são na Arena, diante do torcedor. O futuro do Corinthians está nas mãos... do Corinthians! Cabeça no lugar.

Esporte