Federação divulga análise do VAR de pênalti para o Palmeiras no clássico

A Federação Paulista de Futebol publicou a conversa do árbitro Matheus Delgado Candançan com a VAR Daiane Muniz dos Santos no pênalti marcado para o Palmeiras no clássico contra o São Paulo.

O que aconteceu

O árbitro, inicialmente, avaliou que Rafael tocou a bola primeiro e depois houve o contato com Murilo. "O goleiro soca claramente a bola", afirmou Matheus.

A responsável pelo VAR viu falta e sugeriu a revisão. Ela argumentou que o Palmeirense "joga a bola" e depois é atingido pelo goleiro, atrasado, que chegou de maneira imprudente.

Matheus Delgado muda de opinião e assinala o pênalti. O árbitro principal concordou que Murilo chegou primeiro na bola e que o são-paulino teve uma "ação temerária". Além do pênalti, aplicou cartão amarelo para Rafael.

A FPF só divulga lances em que há mudança da decisão de campo. Portanto, a entidade não disponibilizou o que foi dito entre a equipe de arbitragem nos outros lances polêmicos do Choque-Rei: o pênalti não dado em Luciano e a falta de Richard Ríos em Pablo Maia.

Veja a conversa

Matheus Delgado (árbitro): "[Rafael]Toca bola, toca bola. Tranquilo. Ô Daiane, para mim o goleiro soca claramente a bola. Está checando tudo. Ele joga a bola e depois tem o contato, ele sai na bola".

Daiane Muniz: "Me dá outro ângulo. Não vejo ele jogando a bola, vejo o atacante jogando a bola. É falta, o atacante joga a bola e depois o goleiro chega atrasado, de maneira imprudente, toca o atacante. Matheus, recomendo revisão, possível penal. Quem joga a bola é o atacante, o goleiro dá um soco de maneira imprudente na cabeça dele".

Matheus: "Essa [câmera] mostra claramente que o Murilo tem a posse da bola, e o Rafael acerta ele com o braço em uma ação temerária. Vou mudar para penal e amarelo para o goleiro".

Continua após a publicidade

Daiane: "Perfeito".

Deixe seu comentário

Só para assinantes