Fifa e Conmebol analisam queda de Ednaldo e não descartam intervir na CBF

A Fifa e a Conmebol analisam de perto a forma como foi determinada a destituição do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, feita por meio de decisão judicial. Não está descartada uma intervenção das entidades, desde que seja considerado que o procedimento para sua saída não ocorreu dentro das regras das entidades. A participação do Fluminense no Mundial de clubes, no entanto, está garantida.

Nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro anulou as duas assembleias que elegeram Ednaldo. Com isso, houve determinação para que um interventor, José Perdiz (do STJD), assuma a entidade para nomear eleições em 30 dias.

Os regulamentos da Fifa e da Conmebol dizem que não pode haver interferência de terceiros na gestão das federações nacionais. Isso está determinado nos artigos 14 e 19 da federação internacional. Por esses artigos, os dirigentes precisam ser eleitos para seus cargos.

Nesta quinta-feira, antes da decisão judicial que derrubou Ednaldo, a Fifa e a Conmebol enviaram cartas à CBF ressaltando a existência dos artigos. O documento da confederação sul-americana foi uma resposta a própria entidade. Houve menção, inclusive, sobre possíveis sanções.

Após a decisão, a Fifa e a Conmebol passaram a analisar a medida concreta da Justiça. Três fontes das entidades confirmaram a informação ao UOL.

A ideia é verificar se a destituição feriu os regulamentos. Se isso for constatado, não se descarta uma intervenção na CBF. Isso poderia afetar a participação do Brasil em Eliminatórias da Copa e de times em competições internacionais.

Mas não há risco nenhum para o Fluminense, que vai participar do Mundial de clubes da Fifa. Isso foi ressaltado por uma das fontes ouvidas pela reportagem.

Ednaldo é aliado do presidente da Fifa, Gianni Infantino. E, na CBF, conta-se com o apoio da entidade na disputa em curso pelo poder da entidade.

Agora, na prática, a Fifa nunca puniu a CBF até hoje por disputas internas na Justiça. Em sua decisão, o Tribunal de Justiça quis passar a imagem de que não era um intervenção externa, pois Perdiz é do meio esportivo.

Continua após a publicidade

Fifa e Conmebol mandaram cartas informando que se não forem cumpridos seus regulamentos, a entidade brasileira e seus clubes podem sofrer sanções. Não está descartada uma intervenção das entidades, desde que seja considerado que o procedimento para a saída de Ednaldo não ocorreu dentro das regras das entidades. A participação do Fluminense no Mundial de clubes, no entanto, está garantida.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora