Fim do drama de Luís Díaz com sequestro do pai une Colômbia contra o Brasil

Um drama solucionado às vésperas da Data Fifa e o reencontro de Luís Díaz com seu pai, Luís Manuel Díaz, são os elementos que uniram ainda mais os laços dentro da seleção colombiana às vésperas do jogo de hoje (16), contra o Brasil, pelas Eliminatórias da Copa.

A cena do abraço e das lágrimas após a libertação do sequestro que durou 12 dias é o retrato de uma família aliviada. E a definição de família abrange a seleção que hoje tenta vencer a equipe de Diniz em Barranquilla.

"O desgaste foi sentido, ele e sua família passaram, foram momentos muito difíceis, espero que algo parecido não aconteça novamente. Imagino que dentro da família Díaz tenha sido algo forte, o sofrimento e o esgotamento para eles devem ter sido grandes. No meio de tudo isso ficou demonstrado que somos uma família dentro da seleção colombiana", disse o técnico Néstor Lorenzo.

Expoente da nova geração

Entre os colombianos, Díaz é o jogador que está no clube e na liga de maior renome — atua no Liverpool, na Premier League.

Aos 26 anos, ele lidera uma geração que viu o declínio de Falcao García e enxerga James Rodríguez tentando contribuir aos 32 anos, mas já sem espaço na elite mundial, buscando relevância no São Paulo.

Por isso, o sequestro do pai, feito pelos guerrilheiros do Exército de Liberação Nacional (ELN) teve tanta repercussão e envolveu negociação de agentes do governo colombiano. Os companheiros de seleção, claro, não ficaram alheios a isso.

"A verdade sobre Luis Díaz foi um acontecimento que nos manteve em suspense, não só a nós, mas a toda a sociedade, o grupo esteve muito atento a ele, sempre apoiando Lucho e sua família, estando em constante oração", completou o técnico.

O reencontro foi na sede da federação de futebol, com o presidente Ramón Jesurún ao lado. As lágrimas foram inevitáveis, mas as precauções continuam para esta Data Fifa. O pai do jogador usava uma camisa com a frase "No más secuestro".

Continua após a publicidade

Atenção da polícia

Há um esquema de segurança especial para Luís Díaz e os demais jogadores. Ele tem sido acompanhado por agentes da polícia inglesa, mesmo em solo colombiano. As autoridades locais também redobraram o cuidado, já que o episódio é tão recente.

O drama de Luís Díaz teve impacto também no lado brasileiro, já que ele é companheiro de Alisson no Liverpool.

"Foram momentos terríveis, principalmente para a família dele, mas para nós que estamos próximos também. Ficamos sem ter muito o que fazer, só estar perto da pessoa, dos afetados, da família. Nós, sul-americanos, temos convívio muito bom, procuramos dar força. O Liverpool deu todo suporte. Eu sabia que era importante ajudar, e fico feliz por enfrentá-lo, principalmente por saber que o pai está livre e bem. É um grande trauma. Luiz Diaz é um grande jogador, vai dar trabalho, estamos atentos para neutralizar ele e todos os jogadores da Colômbia", disse o goleiro brasileiro.

Segundo a imprensa colombiana, Díaz vai ser titular contra o Brasil, atuando pela ponta esquerda. A formação terá ainda Rafael Santos Borré na ponta direita e James Rodríguez como falso 9. A bola rola às 21h (de Brasília).

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes