PUBLICIDADE
Topo

Copa do Brasil - 2022

Flu supera o Cruzeiro com gols de cabeça e sai na frente na Copa do Brasil

Alexandre Araújo e Lohanna Lima

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ) e em Belo Horizonte (MG)

23/06/2022 21h01

Classificação e Jogos

Intensidade e adrenalina foram elementos que não faltaram no primeiro jogo entre Fluminense e Cruzeiro, hoje (23), pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Num jogo com direito a expulsão, muitas intervenções do VAR e gol anulado, o Tricolor das Laranjeiras utilizou de todo o seu repertório ofensivo para sair na frente na decisão ao vencer a partida por 2 a 1, no Maracanã. Os gols foram marcados por Manoel e Cano pelo Flu, enquanto Lucas Oliveira deixou o seu pela Raposa - todos foram anotados de cabeça.

As duas equipes voltam a se enfrentar no Mineirão, em 12 de julho, às 21h (de Brasília). Com o resultado, o Flu avança com empate. Em caso de vitória do Cruzeiro por um gol de diferença, a vaga às quartas de final será decidida nos pênaltis.

Antes do reencontro, no entanto, o Fluminense volta a campo no domingo (26), às 16h (de Brasília), no clássico com o Botafogo, válido pela 14ª rodada da Série A do Brasileiro. Já o Cruzeiro receberá o Sport, no Mineirão, terça-feira (28), às 21h30, pela 15ª rodada da Série B.

Estratégias diferentes

O jogo começou agitado e com as equipes mostrando estratégias diferentes. Enquanto o Tricolor fazia marcação mais adiantada e estava melhor postado, o Cruzeiro apostava nas saídas em velocidade, mas sem muito sucesso. A posse de bola dos cariocas foi bem superior, algo raro nos jogos do Cruzeiro, que costuma dominar as ações.

Gol anulado e disputa na arquibancada

Aos 17 do primeiro tempo, Cano marcou, mas não valeu. O gol anulado fez as arquibancadas do Maracanã explodirem. Logo que foi anunciada a decisão no telão, a torcida do Cruzeiro comemorou e tentou empurrar a equipe. Como resposta, a do Fluminense aumentou o som, enquanto os jogadores em campo falavam entre si para não diminuírem o ritmo.

Lei do ex o Maracanã

Coube ao zagueiro Manoel abrir o placar no Maracanã, aos 45 do primeiro tempo. A jogada iniciou com a cobrança de escanteio que a zaga do Cruzeiro afastou. A bola sobrou para Ganso, pelo lado direito, que levantou para Manoel cabecear para o fundo do gol. A comemoração intensa do ex-zagueiro celeste chamou atenção.

Arriscou! E gol!

Nos acréscimos do primeiro tempo, aos 51, em cobrança de falta do meio de campo, Zé Ivaldo viu Fábio adiantado e mandou para o gol. O goleiro recuou e conseguiu tocar na bola, mandando para fora. Na cobrança de escanteio, Filipe Machado mandou na primeira trave e Lucas Oliveira subiu sem marcação para empatar.

Oportunidades

A equipe de Fernando Diniz criou boas chances de abrir o placar, principalmente em jogadas explorando as alas. O quarteto formado por Ganso, Luiz Henrique, Arias e Cano achou bons espaços na defesa adversária. Logo aos 2 minutos, Matheus Bidu evitou o que seria o primeiro gol do Flu no chute de Cano ao tirar a bola em cima da linha. O Cruzeiro ainda terminou a primeira etapa com um jogador a menos. Geovane Jesus foi expulso após forte entrada em Nonato.

No segundo tempo, o Fluminense seguiu em cima. O Cruzeiro, com um a menos, mal conseguiu avançar no campo ofensivo. Enquanto isso, o Flu marcou o segundo com Cano, aos 10, de cabeça, após cruzamento de Arias. O Tricolor seguiu em cima, dominou ainda mais a segunda etapa, mas não foi o suficiente para aumentar o placar. Aos 44, Edu em boa jogada tocou para Vitor Leque que, ao bater, tirou demais de Fábio e a bola foi para fora.

Desempenho do Flu

O Flu começou com o time bem postado e marcação alta. Explorando as alas, os comandados de Fernando Diniz conseguiram achar espaços e criar oportunidades. Por outro lado, deram alguns espaços na defesa. Com um a mais, voltou do intervalo com formação que proporcionou maior ocupação no campo ofensivo e dominou as ações.

Desempenho do Cruzeiro

O Cruzeiro foi envolvido pelo Fluminense durante toda a partida e teve que se desdobrar defensivamente para tentar parar o adversário. O time de Paulo Pezzolano teve dificuldades e peças que não funcionaram bem, como Geovane Jesus, Fernando Canesim e Rodolfo. O último foi uma aposta do treinador para o ataque, mas que não rendeu bem.

Quem foi bem: Germán Cano

O argentino fez boa partida e foi o autor do segundo gol da vitória do Fluminense, que deixa o time em vantagem na briga pela classificação. Ele ainda teve um gol anulado no primeiro tempo.

Quem foi mal: Geovane Jesus

O lateral direito Geovane foi expulso ainda no primeiro tempo do jogo, após falta dura em Nonato, e deixou o Cruzeiro com um a menos, fazendo que que a equipe mineira tivesse de mudar a estratégia em um jogo importante.

Último em casa

Vendido ao Betis, o atacante Luiz Henrique fez o último jogo no Maracanã antes de se apresentar ao clube espanhol. No domingo, a equipe das Laranjeiras encara o Botafogo, no Nilton Santos.

"Briga" por goleiros

Antes de a bola rolar, a torcida do Fluminense ovacionou os jogadores titulares. E o canto começou forte e em altíssimo som em homenagem a Fábio, que retribuiu com aplausos. Logo a torcida do Cruzeiro puxou um grito por Rafael, atual dono da meta celeste.

Ídolo do Cruzeiro, Fábio deixou o clube no início do ano, após não chegar a um acordo para renovação com a diretoria, já sob o comando de Ronaldo no molde de SAF. Livre no mercado, ele acertou com o clube das Laranjeiras.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 2 x 1 CRUZEIRO
Competição:
Oitavas de final da Copa do Brasil (jogo de ida)
Data e hora: 23 de junho de 2022 (quinta-feira), às 19h (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires (Fifa/GO) e Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa/GO)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: John Arias e André (Fluminense); Zé Ivaldo, Edu, Pedrão e Willian Oliveira (Cruzeiro).
Cartão vermelho: Geovane Jesus (Cruzeiro)
Gols: Manoel, aos 45 minutos do primeiro tempo e Cano, aos 10 minutos do segundo tempo (Fluminense) ; Lucas Oliveira, aos 51 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro)

FLUMINENSE: Fábio, Samuel Xavier (John Kenedy), Manoel, Nino e Caio Paulista; André, Nonato (Matheus Martins) e Ganso (Martinelli); Luiz Henrique, Arias e Cano (Pineida). Técnico: Fernando Diniz

CRUZEIRO: Rafael Cabral; Zé Ivaldo (Pedrão), Lucas Oliveira e Eduardo Borck; Geovanne Jesus, Willian Oliveira, Filipe Machado (Adriano), Fernando Canesim (Rafael Santos) e Matheus Bidu (Vitor Leque); Rodolfo (Rômulo) e Edu. Técnico: Paulo Pezzolano