PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2022

Palmeiras vira no fim, bate o São Paulo e segue líder isolado do Brasileiro

Brunno Carvalho e Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

20/06/2022 22h01

Classificação e Jogos

O público de cerca de 30 mil pessoas assistiu atônito à virada improvável do Palmeiras, nos acréscimos, no clássico contra o São Paulo, no Morumbi, em jogo pela 13ª rodada do Brasileirão. Depois de sair na frente com Patrick, no início do jogo, o Tricolor perdeu intensidade e permitiu a crescida do rival, que, aos 50 minutos do segundo tempo, buscou a vitória por 2 a 1, com gols de Gustavo Gómez e Murilo.

Invicto há 12 partidas no Brasileirão (19 ao todo na temporada), o Alviverde manteve a liderança isolada do Nacional, com com 28 pontos. O Corinthians, vice-líder, tem 25. O São Paulo, poderia se aproximar dos líderes em caso de vitória, estacionou na nona colocação, com 18 pontos.

As duas equipes agora voltam suas atenções para a Copa do Brasil. Na quinta-feira (23), elas se enfrentam mais uma vez, novamente no Morumbi, pelo jogo de ida das oitavas de final da competição de mata-mata.

Live do São Paulo

Live do Palmeiras

O melhor: Patrick

O camisa 88 teve bons momentos na partida nas mais variadas funções. Inicialmente escalado como parceiro de ataque de Calleri, foi o responsável por abrir o placar para o São Paulo. Depois, recuou para compor a linha de meio de campo e segurar as subidas de Mayke.

Foi mal: Dudu contribuiu pouco e não teve culpa

Não foi culpa dele, mas a verdade é que Dudu não acrescentou muito improvisado por Abel Ferreira e João Martins como auxiliar do improvisado lateral-direito Gómez. Confuso na marcação, o camisa 7 não apoiava muito, preso na defesa.

Cronologia do jogo

O São Paulo começou apertando a saída do Palmeiras, que demorou a se encontrar. E foi numa jogada em que Igor Vinícius forçou Veron a ceder um escanteio, que os donos da casa chegaram ao gol. Rodrigo Nestor bateu o escanteio bem fechado, a defesa do Palmeiras não cortou e a bola ainda desviou em Gabriel Menino antes de encontrar o peito de Patrick e, na sequência, a rede de Weverton.

Mas o Palmeiras não deixou de pressionar por nem um minuto dali em diante. E, aos 45' da segunda etapa, foi recompensado. Scarpa fez boa jogada pela esquerda, cortou para o meio e cruzou de direita. Por trás da zaga, Gustavo Gómez subiu e testou com precisão no chão para matar Jandrei.

E de tanto insistir, aos 50' da segunda etapa, Murilo aproveitou confusão após escanteio de Scarpa e empurrou a bola para a rede para virar a partida a favor do Verdão.

Patrick vira parceiro de Calleri e abre o placar

Patrick abre o placara para o São Paulo

Rogério Ceni decidiu trocar o parceiro de ataque de Jonathan Calleri. Com Luciano em uma seca de nove jogos sem marcar, o treinador optou por colocar Patrick como atacante. Em pouco tempo, a escolha se mostrou acertada.

O camisa 88 fez boa dupla com Reinaldo pela esquerda e deu trabalho para Gustavo Gómez, escalado como lateral direito. Aos 17 minutos, Patrick se posicionou na segunda trave e aproveitou o desvio de Gabriel Menino para abrir o placar para o São Paulo.

Além de colocar o Tricolor em vantagem, Patrick se tornou o primeiro parceiro de ataque de Calleri escalado desde o início do jogo a balançar as redes desde que Rigoni marcou contra o Botafogo-SP, pela fase de grupos do Paulistão - Eder, contra o Red Bull Bragantino, e Luciano, contra Athletico e Fortaleza, marcaram, mas entraram no segundo tempo.

VAR é acionado três vezes no 1º tempo

O agitado primeiro tempo contou com ao menos três análises do VAR em jogadas importantes. A primeira aconteceu no gol de Patrick. Depois do desvio de Gabriel Menino, o meia do São Paulo empurrou a bola para o fundo das redes. A arbitragem, contudo, precisou analisar se a bola tocara ou não no braço do são-paulino, o que não se confirmou e o lance foi validado.

Na sequência, dois lances a favor do Palmeiras passaram por análise. Aos 20 minutos, Rony caiu após disputa com Jandrei e pediu pênalti. A arbitragem mandou seguir. Cinco minutos mais tarde, Gustavo Gómez cruzou, Veron cabeceou e Jandrei defendeu. No rebote, Piquerez furou e o goleiro são-paulino dividiu mais uma vez com Rony. Após rápida análise do lance, a arbitragem mandou seguir.

Palmeiras só começou a levar perigo aos 21'

O Palmeiras demorou um tempo para se reencontrar após sofrer o gol. Aos 21', Rony dividiu com Jandrei, em lance que o VAR afirmou não ter sido pênalti. Aos 25', Gómez cruzou e Veron, meio sem jeito, cabeceou com perigo. Jandrei espalmou como pôde, em cima da linha. Aos 31' Scarpa bateu de fora da área após ajeitada de Menino. Passou perto.

Pressão alviverde cresce no fim da 1ª etapa e continua na 2ª

De lampejos, o Palmeiras passou para um domínio do jogo nos últimos minutos do 1º tempo, que seguiu no início do 2º, em especial com a subida da marcação. Gabriel Menino, Scarpa e Rony eram os mais perigosos, com muita movimentação e chutes de média distância. Veron procurava dar velocidade. E, depois da entrada de Mayke, que o liberou um tanto de ter de marcar, Dudu também passou a colaborar mais.

São Paulo perde força depois das substituições

Rogério Ceni optou por duas alterações ao mesmo tempo, aos 16 minutos do segundo tempo. Saíram os amarelados Igor Vinícius e Gabriel Neves, para a entrada de Rafinha e Pablo. Apesar de afastar o risco de uma expulsão, as mudanças diminuíram o ímpeto do São Paulo na etapa final.

Em um de seus melhores jogos com a camisa do São Paulo, Gabriel Neves conseguia apertar a saída de bola e tirar os espaços de Gustavo Scarpa. Pablo Maia demorou para se encaixar na marcação. Nesse meio tempo, o Palmeiras seguiu conquistando campo e passou a incomodar a defesa são-paulina.

Aos 28 minutos, o empate não veio por muito pouco. Mayke cruzou rasteiro e Breno Lopes, que acabara de entrar, acertou o travessão de Jandrei.

O jogo do São Paulo: intensidade no 1º tempo não se mantém

O São Paulo começou a partida com uma proposta de marcar a saída de bola do Palmeiras. Contando com boas atuações de Igor Vinícius e Gabriel Neves, o time de Rogério Ceni conseguiu desarmes importantes na primeira etapa, como no lance que gerou o escanteio, aos 17 minutos, que terminou em gol de Patrick.

Na segunda etapa, o ritmo intenso perdeu força. Gabriel Neves, que recebera um cartão amarelo, foi substituído, e Pablo Maia não conseguiu manter o nível. Paralelamente, o Palmeiras começou a dominar as ações da partida.

O jogo do Palmeiras: Desatenção no gol, pressão no resto do jogo

O gol do São Paulo tirou o Palmeiras do jogo por alguns minutos. Mas assim que se reencontrou, dominou a maior parte das ações, levando muita pressão, tanto com a marcação alta, para roubar bolas, quanto articulando as jogadas. Faltou um pouco mais de empenho diante de um São Paulo que prevaleceu na força.

Apito final é senha para confusão

Após o apito final, diante da efusiva comemoração dos palmeirenses, jogadores do São Paulo cercaram os palmeirenses. Na ida para o vestiário, as câmeras da transmissão flagraram o lateral Reinaldo derrubando o totem de álcool em gel posicionado no túnel. O caminho ainda teve uma troca de discussão entre os atletas das duas equipes.

Tite acompanha de perto

O clássico contou com a presença de Tite em um dos camarotes do Morumbi. O técnico da seleção brasileira esteve com César Sampaio, um de seus auxiliares, acompanhando o duelo. O ex-volante atuou tanto por Palmeiras quanto por São Paulo na época de jogador. A última convocação do treinador contou com a presença dos palmeirenses Weverton e Danilo.

Ontem (19), Tite e César Sampaio estiveram na Neo Química Arena acompanhando a vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o Goiás.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 1 x 2 PALMEIRAS
Campeonato:
Brasileirão, 13ª rodada
Data e hora: 20 de junho de 2022 (segunda-feira), às 20h
Local: estádio do Morumbi, São Paulo (SP)
Público: 31.055 pessoas
Renda: R$ 1.314.153,00
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
Assistentes: Rafael Alves (Fifa/RS) e Michel Estanislau (RS)
VAR: Rodrigo Guarizo do Amaral (SP)
Gols: Patrick, aos 17' do 1º tempo (SAO); Gustavo Gómez e Murilo (PAL), aos 45' e 50' do 2º tempo
Cartões amarelos: Reinaldo, Igor Vinícius, Gabriel Neves (SAO); Danilo (PAL)

SÃO PAULO: Jandrei; Diego Costa, Arboleda, Léo; Igor Vinícius (Rafinha), Igor Gomes, Gabriel Neves (Pablo Maia), Rodrigo Nestor (Rigoni), Reinaldo (Miranda); Patrick e Calleri (Eder). Técnico: Rogério Ceni

PALMEIRAS: Weverton; Gómez, Luan (Mayke), Murilo e Piquerez (Wesley); Danilo (Atuesta), Gabriel Menino e Gustavo Scarpa; Dudu, Rony (Navarro) e Gabriel Veron (Breno Lopes). Técnico: João Martins (auxiliar)