PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Títulos de Cuca pressionam Turco no Atlético-MG, mas início de 2021 alivia

Turco Mohamed tem apenas duas derrotas em 26 partidas no comando do Atlético-MG - Pedro Souza/Atlético-MG
Turco Mohamed tem apenas duas derrotas em 26 partidas no comando do Atlético-MG Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

12/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

Turco Mohamed chegou ao Atlético-MG com uma missão: manter o ótimo futebol apresentado pelo time em 2021, temporada marcada pelos títulos do Brasileirão, Copa do Brasil e do Mineiro, além de campanha invicta na Copa Libertadores (caiu na semifinal após dois empates). Quase quatro meses após assumir o comando técnico do Galo, o treinador argentino se vê pressionado pelos triunfos obtidos com Cuca e passa por momento de questionamento.

O empate em 1 a 1 com o Red Bull Bragantino, ontem (11), no estádio Nabi Abi Chedid, em rodada antecipada do Brasileiro, foi o terceiro do Atlético em seis partidas. São apenas nove pontos conquistados em 18 possíveis. O aproveitamento de 50% é baixo para o atual campeão nacional e dono de um dos melhores elencos do futebol do país.

Mas por outro lado, se as conquistas de Cuca elevaram o nível de cobrança na Cidade do Galo, o começo fraco na edição 2021 do Brasileiro faz com que a pressão interna não seja tão grande nesta altura da temporada.

No ano passado, a equipe de Cuca conquistou somente dez dos primeiros 21 pontos (47,6%) que disputou nas sete primeiras rodadas — amargou três derrotas neste período. O desempenho era muito abaixo do esperado, e o então treinador do Atlético estava muito pressionado. O panorama começou a mudar diante do Atlético-GO, quando o Galo venceu por 4 a 1, no Mineirão, e iniciou ali uma sequência de nove vitórias seguidas e 18 partidas de invencibilidade — a série terminou justamente contra o time goiano.

Se por um lado os títulos de Cuca pressionam Turco Mohamed, o começo ruim no Brasileirão passado faz que com que a diretoria tenha paciência e sequer cogite uma troca no comando técnico neste momento. Por coincidência, é o Atlético-GO o próximo adversário do Alvinegro, no sábado (14). Não no Mineirão, mas no Independência.

"Fizemos 26 jogos, temos duas derrotas, mas sabemos que temos que melhorar. Todas as equipes têm um desnível, mas estamos muito unidos e tenho muita experiência para isso. Estou muito comprometido com o Atlético e que tenho o respaldo da diretoria e dos meus jogadores", comentou Turco, que, apesar do empate com o Bragantino, ficou satisfeito com o que viu.

"Hoje [ontem] vimos a equipe campeã dentro do campo. Temos que manter essa forma de jogar e nada mais."

Arbitragem

Outro fator que pesa a favor de Turco Mohamed é a bronca do Atlético com a arbitragem. Na visão da diretoria, o Galo foi prejudicado contra Goiás e Red Bull Bragantino, duas partidas que terminaram empatadas. A não expulsão de Danilo Barcelos, em Goiânia, e o impedimento de Guilherme Arana, que automaticamente anulou o pênalti e a expulsão de Leo Ortiz, em Bragança, são classificados como erros graves pelos dirigentes alvinegros.

Tanto que o diretor de futebol do Atlético, Rodrigo Caetano, convocou entrevista coletiva para a manhã de hoje (12). O assunto principal, é claro, será os supostos erros de arbitragem em duas das seis partidas do Galo neste Brasileirão.

Atlético-MG