PUBLICIDADE
Topo

Diretor que agrediu carnavalesco da Gaviões é preso pela Polícia

Zilkson da Silva Reis é o carnavalesco da Gaviões da Fiel - Reprodução/ Gaviões
Zilkson da Silva Reis é o carnavalesco da Gaviões da Fiel Imagem: Reprodução/ Gaviões

Thiago Braga e Yago Rudá

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/05/2022 00h06

Classificação e Jogos

Mais de um mês após ter sua prisão expedida pela Justiça de São Paulo, Thiago Carlos Dionísio (38), ex-diretor de barracão da Gaviões da Fiel, foi preso pela polícia na noite desta quarta-feira (11).

A Polícia Civil de São Paulo concluiu o inquérito do caso da agressão ao então carnavalesco da Gaviões, Zilkson da Silva Reis (42), responsável pelo desfile da escola de samba. A polícia trata o caso como tentativa de homicídio, embora ainda não tenha conseguido esclarecer o que motivou o ataque de Dionísio a Zilkson.

O inquérito foi relatado ao Ministério Público no dia 4 deste mês pela delegada Karla Regina Teixeira, do 2º DP, no Bom Retiro. Como Dionísio não tinha se apresentado até o momento em que o documento foi remetido para o MP, ele teve sua prisão preventiva decretada. Agora, o MP terá de decidir se vai oferecer denúncia, arquivar o caso ou se vai pedir para que a polícia efetue novas diligências.

"Diante da gravidade concreta dos delitos, propugno pela prisão preventiva de Thiago Carlos Dionísio, garantindo-se assim a maior segurança para a instrução criminal e a eficiente aplicação da Lei Penal, possibilitando-se a realização da Justiça", escreveu a delegada Karla Regina no relatório encaminhado ao MP.

Em contato com a reportagem do UOL Esporte, a advogada de Zilkson relatou que ele teve alta da UTI, mas ainda permanece internado na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

"Estamos aguardando a recuperação do Zilkson para que ele possa retornar ao Amazonas e ficar sob os cuidados de sua família aqui em Parintins. O estado de saúde ainda é grave e ele não se lembra do que aconteceu no dia da agressão. Está confuso e tem dificuldades na fala", resumiu a defensora do carnavalesco.

Segundo apurou o UOL Esporte, entre as ações da polícia para prender Dionísio houve a tentativa de localizá-lo através do sinal dos aparelhos de celular que ele tinha. Através da Estação Rádio-Base, procurou mapear a área em que Dionísio poderia estar. Isso porque a ERB determina a conexão entre o celular de uma pessoa e a estação que lhe forneceu sinal. Mas a polícia não encontrou sinal dos aparelhos que poderiam estar com Dionísio.

O mesmo aconteceu com o sinal do celular da namorada de Dionísio e que acusa Zilkson de abuso sexual. A mulher que se apresenta como namorada de Dionísio registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher contra Zilkson por "importunação sexual". No depoimento, que o UOL Esporte teve acesso com exclusividade, a moça relata os fatos. No primeiro BO, disse que teriam ocorrido no dia 28. Depois, houve uma retificação e a data foi mudada para 27.

A delegada Karla Regina colheu o depoimento da namorada de Dionísio, onde ela confirma a versão do testemunho dado no fim do mês passado.

No inquérito que apura a importunação sexual contra a namorada de Dionísio, a delegada pediu para que o prazo seja estendido por mais 60 dias, para assim poder chegar a uma conclusão do que aconteceu.