PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Tite pensa em mudanças contra o Paraguai, mas vive dilema sobre Coutinho

Gabriel Carneiro e Igor Siqueira

Do UOL, em São Paulo e Rio de Janeiro

28/01/2022 04h00

Classificação e Jogos

A classificação antecipada para a Copa do Mundo levou Tite à decisão de dar mais espaço nas rodadas finais das Eliminatórias para jogadores que vinham atuando pouco. Do time escalado ontem (27) contra o Equador, por exemplo, quatro titulares não somavam nem dez partidas com a Amarelinha (Emerson Royal, Vinicius Júnior, Matheus Cunha e Raphinha). A ideia é manter o rodízio no jogo da próxima terça-feira diante do Paraguai, mas o treinador esbarra num dilema: repetir ou não a escalação de Philippe Coutinho desde o início?

O meia do Aston Villa foi escalado como titular na função normalmente desempenhada por Lucas Paquetá, que cumpriu suspensão em Quito. O problema é que Coutinho acabou substituído aos 32 minutos do primeiro tempo, pouco depois da expulsão de Emerson Royal — Daniel Alves foi quem entrou para remontar a defesa da seleção.

Coutinho teve tempo para poucas ações em campo em sua primeira chance após 18 partidas de ausência. Mesmo assim, conseguiu ajudar na jogada do gol marcado pelo Brasil aos cinco minutos do primeiro tempo ao evitar que a bola saísse pela linha de fundo no lado esquerdo do ataque e levantar na área. Matheus Cunha cabeceou, a defesa se enrolou para afastar e Casemiro finalizou ao gol no rebote.

Coutinho - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Tite consola Philippe Coutinho após substituição no empate em 1 a 1 com o Equador, ontem (27)
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Tite explicou que a decisão pela substituição de Coutinho não foi técnica, mas tática e física. O meia não poderia jogar por mais de 70 minutos por ainda estar em processo de recondicionamento físico após uma lesão que lhe tirou dos gramados por nove meses. Como era uma substituição certa, o treinador decidiu sacá-lo e recuar Matheus Cunha para a posição, com mais vigor físico para as funções que seriam exigidas num jogo com uma expulsão de cada lado.

"O campo encomprida, alarga, altitude, transições, velocidade, o atleta [Coutinho] ia se desgastar demais. A decisão foi de ter um Cunha inteiro, que com Jardine não era só 9, jogava com Richarlison e era jogador de conexão, fazia ele a conexão com os dois meio-campistas [Fred e Casemiro] para chegar nos dois externos [Raphinha e Vinicius Júnior]. Teoricamente três atacantes, mas não eram. Dois atacantes e um flutuador", explicou.

Tite disse que pediu desculpas para Coutinho por tê-lo "sacrificado" contra o Equador: "Há um lado técnico e há um lado humano e não dissocia isso. Eu pedi desculpa a ele porque a necessidade da equipe naquele momento era de ter um jogador que pudesse jogar os 90 minutos."

No próximo desafio, dia 1º, contra o Paraguai, Tite terá Philippe Coutinho novamente à disposição, assim como Lucas Paquetá, que está convocado mesmo com a suspensão no primeiro jogo e vem treinando sem restrições. É improvável um cenário em que os dois sejam escalados como titulares, então o treinador terá que tomar a decisão de dar mais uma chance para o xodó que ainda corre atrás de jogar em alto nível ou retomar a escalação do concorrente que vinha dando conta do recado nas rodadas anteriores.

Outras mudanças?

O lateral-direito Emerson Royal, expulso, e o zagueiro Éder Militão, suspenso por acúmulo de cartões amarelos, não estão à disposição para o jogo contra o Paraguai. Além de Paquetá, Fabinho é outro que cumpriu suspensão e retorna. Também é provável que Tite convoque um zagueiro e um lateral antes do jogo diante dos paraguaios. Questões logísticas podem fazer com que a preferência seja por jogadores que atuam no futebol brasileiro.

Gabriel Magalhães - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Gabriel Magalhães pode ser titular no Mineirão
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Entre os jogadores já com o grupo que devem ganhar espaço está o zagueiro Gabriel Magalhães, do Arsenal. Convocado pela segunda vez, ele deve enfim estrear com a Amarelinha no Mineirão. Provavelmente ao lado de Marquinhos, que ficou no banco no Equador para que Militão tivesse mais minutos de jogo. Assim, Thiago Silva e o possível novo convocado ficam no banco.

Bruno Guimarães é outro nome que Tite deseja observar por mais tempo, mas ainda não sabe se desde o início ou já durante o jogo.

A seleção treina amanhã (29),a Toca da Raposa, e inicia preparação para a 16ª rodada das Eliminatórias.

Seleção Brasileira