PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Série sobre Neymar ignora namoros e foca na relação com o pai

O relacionamento entre Neymar e o pai em divulgação na série documental Neymar - O Caos Perfeito  - Divulgação
O relacionamento entre Neymar e o pai em divulgação na série documental Neymar - O Caos Perfeito Imagem: Divulgação

Ana Flávia Oliveira

Do UOL, em São Paulo

26/01/2022 04h00

A série documental "Neymar - O Caos Perfeito", que estreou nesta terça-feira (25) na Netflix, tem como um dos pontos centrais a relação entre o jogador e seu pai, o empresário Neymar Santos. Ao longo dos três episódios, as entrevistas de ambos são o fio condutor para contar a trajetória de ascensão no futebol do menino franzino que se tornou um dos atletas mais famosos e bem pagos do mundo.

Além de depoimentos do jogador e do pai e empresário, a produção conta com entrevistas de jogadores como Leonel Messi, Di María, Luis Suárez, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva, além de ex-jogadores como Raí e Beckham, do jornalista Juca Kfouri, colunista do UOL, e do agente Wagner Ribeiro.

Desde muito novo sob os holofotes, Neymar sempre foi a galinha dos ovos de ouro da família. E o pai, que chegou a ser jogador de futebol profissional, traçou para o filho uma estratégia até o topo, como empresário e como familiar, participando de todas as decisões relacionadas à carreira do craque —até mesmo sobre os cortes de cabelo, que são uma marca do jogador.

Em suas falas, o pai mostra diversas vezes uma preocupação muito grande com a "marca" Neymar e briga até mesmo com o filho para preservá-la. "Não consigo separar ser pai e empresário. Eu paguei um preço muito caro, você abre mão de família. Mas não me arrependo", diz o pai.

Com imagens cedidas pela família, outras inéditas e entrevistas antigas, o documentário mostra a infância de Neymar, as passagens vitoriosas pelo Santos e Barcelona. Também aborda a transferência do astro para o PSG e sua insatisfação no clube francês, que o fez forçar uma tentativa de retorno para o clube catalão.

Vida pessoal é quase esquecida

Neymar e Bruna Marquezine: o casal está de volta? - Reprodução - Reprodução
Neymar e Bruna Marquezine tiveram um longo relacionamento
Imagem: Reprodução


Neymar pai é o familiar que mais aparece no documentário. A mãe do jogador, Nadine, tem poucas falas. A irmã do craque, Rafaella Santos, não dá nenhum depoimento à série, e sua presença é marcada apenas por fotos e filmagens caseiras de reuniões familiares.

Embora se apresente como "série documental que mostra o lado pessoal do astro do futebol", a produção deixou de lado os relacionamentos amorosos do craque. Nem mesmo a atriz Bruna Marquezine, com quem namorou, entre idas e vindas, entre 2012 e 2018, é citada. Em entrevista ao UOL, o diretor da série, David Charles Rodrigues, argumenta que seria "forçada" a menção a Bruna, como se fosse promoção em cima de sua imagem.

O que foi muito importante para mim foi capturar o que o Neymar estava vivenciando naquele momento presente, a temporada 2019/2020, e usar momentos daquele ano para poder contar a carreira inteira dele. Naquele momento da vida dele relacionamento não era algo que fazia parte da narrativa, então não tinha um ponto de partida para poder falar. Ia ser muito gratuito da narrativa que eu propus do nada aparecer a Bruna Marquezine. Não foi proposital, não teve restrição, simplesmente não fez parte da narrativa."

Também não há nenhuma menção ou entrevista de Carol Dantas, com quem Neymar teve um filho, Davi Lucca, em 2011. Ela aparece apenas durante momentos de interação do jogador com o garoto.

Apesar de não citar namoradas e affairs do craque, a série não deixa de lado a polêmica em torno da acusação de estupro contra Neymar feita por Najila Trindade, em maio de 2019. A acusação é pano de fundo para o grande momento da série: uma discussão entre pai e filho e o grito de liberdade de Neymar, questionando a forma de agir do pai.

Lidando com as críticas

Na primeira cena da série, um produtor pergunta como o craque gostaria de começar. "Começaria com todas as frases, de jornal, da galera falando sobre as minhas atitudes, me julgando. 'Neymar, mau-caráter'... Principalmente começando com monstro. Todas as pessoas falando mal e depois me conheceriam", responde o atleta.

O trecho dá a entender que uma das principais ambições da série é dar voz a Neymar para que ele se defenda das muitas críticas que recebe. Naquilo que parece uma contradição, o jogador, no entanto, repete diversas vezes que não se importa com elas.

Eu não ligo para o que os outros vão pensar de mim, do meu jeito, de como eu jogo. Sou um cara muito transparente, muito verdadeiro. Não ligo para o que falam. Neymar

No entanto, Neymar revela mágoa pelos julgamentos públicos que sofreu nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Neymar foi capitão daquela seleção que ganhou o primeiro ouro olímpico da história do futebol brasileiro. Foi dele o gol que abriu o marcador na final contra a Alemanha, que chegou a empatar. Nos pênaltis, Weverton pegou uma cobrança alemã, e Neymar fechou o placar em 5 a 4, garantindo a medalha.

O craque também aproveitou para rebater as críticas sobre a sua atuação na Copa de 2018, na Rússia. O Brasil perdeu por 2 a 1 para a Bélgica e caiu nas quartas de final.

Foi uma das derrotas mais doloridas que tive. Não queria ver ninguém, não queria falar com ninguém. Tudo me machucava. A televisão não ligava, internet não entrava." Neymar

Amizade com Messi e ida ao PSG

Neymar e Messi durante partida de pré-temporada do Barcelona, em 2017 - Don Emmert/AFP - Don Emmert/AFP
Neymar e Messi durante partida de pré-temporada do Barcelona, em 2017
Imagem: Don Emmert/AFP

O brasileiro revelou ainda que uma conversa com o argentino Lionel Messi o ajudou a encontrar no Barcelona o bom futebol, que apresentou no Santos e que encantou o mundo.

No Barcelona, Neymar teve uma passagem vitoriosa, com seis títulos nacionais, além da Liga dos Campeões da Uefa e do Mundial de clubes da Fifa, e surpreendeu a todos, inclusive a seu pai, quando decidiu trocar o time catalão pelo Paris Saint German.

Por meio de declarações de jornalistas e trechos de programas esportivos da época, a série mostra que ele queria sair da sombra de Messi e ser o protagonista de uma grande equipe, apesar da postura contrária de seu pai à mudança.

A passagem de Neymar no PSG é marcada por altos e baixos —uma relação de amor e ódio com os torcedores e imprensa— e temperada por lesões que tiraram o brasileiro de jogos importantes com a equipe parisiense.

Talvez por essa relação conturbada, em 2019, Neymar decidiu voltar ao Barcelona. Os donos do PSG, no entanto, se negaram a vender o craque, que se conformou, enquanto as críticas aumentaram.

Por essa razão, Neymar pai chama o filho de "herói possível", como aquele que consegue absorver as cobranças sem se abalar, e justifica o nome da série.

O documentário que está disponível na Netflix tem direção de David Charles Rodrigues e produção de LeBron James (NBA) produção Maverick Carter.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado, o Brasil caiu nas quartas de final da Copa da Rússia, e não na semifinal. O erro foi corrigido.

Futebol