PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Para o Flamengo vender Michael teria que ser algo lucrativo

Do UOL, em São Paulo

17/01/2022 16h03

Destaque do Flamengo no último Campeonato Brasileiro, o atacante Michael virou alvo do Al Hilal, da Arábia Saudita, que disputará o Mundial de Clubes e já apresentou uma oferta ao clube rubro-negro, com valor ainda abaixo do que espera a diretoria.

No podcast Posse de Bola #194, Mauro Cezar Pereira afirma que o Flamengo só deveria negociar Michael se o valor recebido na transação apresentar um retorno financeiro maior do que a quantia que foi paga para contratá-lo do Goiás, ressaltando que houve exagero na época com os 7,5 milhões de euros, mas que ele se valorizou no ano passado.

Ouça também o boletim do Posse com Arnaldo e Tironi; exclusivo na Apple Podcasts

"A proposta inicial, é bom lembrar que o Flamengo tem 80% dos direitos do jogador, então se você trabalhar em reais, o quanto o Flamengo pagou e o quanto o jogador renderia ao Flamengo agora, pela proposta inicial, o Flamengo ganharia menos do que ele pagou, porque ele tem 80%. Agora, se eles aumentarem a proposta e o Flamengo ficar, digamos, com os US$ 8 milhões oferecidos, você faz a conversão e aí tem mais ou menos US$ 1 milhão de lucro, vai dar uns R$ 5 ou 6 milhões de lucro para o Flamengo", diz Mauro.

"Michael não valia os 7,5 milhões de euros que o Flamengo pagou por ele. Foi um momento pré-pandemia, muita empolgação, o Jesus pedindo jogador, o Flamengo foi lá e contratou o jogador. Mas no ano passado ele se valorizou, é outro momento. O Michael há um ano era uma situação e agora é outra, ele fez muitos gols, foi um dos goleadores do campeonato", completa.

Mauro afirma que o Flamengo deveria negociar se estivesse em situação financeira difícil, o que não parece ser o caso, além de não ter outro jogador no elenco com as mesmas características de Michael, o que faria com que fosse necessária a reposição.

"Para vender o Michael tem que ser um negócio lucrativo do ponto de vista financeiro e que ofereça possibilidades de usar essa grana de ir ao mercado e contratar alguém que agrade o novo técnico, seja bom comprovadamente e possa reforçar o elenco. Vender só por vender, então não adianta você buscar um equilíbrio financeiro se você continua vendendo pela primeira proposta que aparece", diz Mauro.

"O Flamengo já tem algumas baixas, ele vai precisar repor algumas posições, a não ser que encontre agora nesses jogos com o time da base, os primeiros jogos do Carioca, dois ou três jogadores que se destaquem barbaramente e ganhem muito espaço, o que não é muito provável acontecer. Então vai precisar de repente ir ao mercado, aí seria mais uma baixa de um jogador que tem uma característica que nenhum outro tem no elenco, ele é o único cara de drible e velocidade, buscando o gol, e fazendo gols na temporada passada", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol