PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cláusula com a Globo impede Cruzeiro de jogar em horário nobre no Mineiro

Taça que será entregue ao campeão mineiro de 2022 - Fernando Moreno/AGIF
Taça que será entregue ao campeão mineiro de 2022 Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Lohanna Lima e Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

13/01/2022 20h07

Classificação e Jogos

O Cruzeiro vai estrear no Campeonato Mineiro de 2022 no dia 26 deste mês, uma quarta-feira, às 17h, no Mineirão. O horário fora do comum para o duelo com a URT tem explicação e tem a ver com a venda dos diretos de transmissão, mas também com questões políticas. Não é apenas na primeira rodada que a Raposa vai jogar num horário fora do habitual no futebol. Será assim em toda a primeira fase, com exceção da última rodada, quando todas as partidas começam ao mesmo tempo.

Aliás, o duelo com o Patrocinense, dia 19 de março, é o único do Cruzeiro num domingo à tarde. Os demais jogos não podem coincidir com as partidas negociadas com a Globo, SporTV e Premiere. De acordo com apuração do UOL Esporte, no contrato assinado entre FMF e 11 dos 12 clubes da competição, existe uma cláusula que garante preferência de horários para as partidas televisionadas pela emissora carioca. Portanto, como o Cruzeiro não faz parte do acordo, já que assinou com a Sempre Editora, proprietária do jornal O Tempo, o horário inicial das partidas da Raposa não podem coincidir com os compromissos dos rivais América-MG e Atlético-MG.

O Cruzeiro se apoiou na Lei do Mandante, sancionada pelo Presidente Jair Bolsonaro, em setembro do ano passado, para negociar com a Sempre Editora. Ainda na gestão de Sérgio Santos Rodrigues, o clube estrelado recebeu R$ 5 milhões e garantiu ao grupo editorial a exclusividade dos jogos dentro de casa em todas as plataformas.

Com a cláusula de preferência, os jogos do América e do Atlético aparecem diversas vezes nos horários que são considerados nobre no futebol, como são a quarta-feira à noite e o domingo à tarde.

Retaliação política

Não é segredo que existe uma rixa política entre Vittorio Medioli, prefeito de Betim e dono da Sempre Editora, com a família Aro. O presidente da FMF é Adriano Aro, irmão do deputado federal Marcelo Aro. Ambos não se dão bem com Medioli.

A marcação dos jogos do Cruzeiro em horários inusitados foi recebida como uma retaliação ao prefeito de Betim, como apurou o UOL Esporte. Os horários incomuns, como quarta-feira à tarde, vão impactar diretamente no planejamento da empresa, que vai vender pacotes de streaming para recuperar o dinheiro investido na compra dos direitos dos jogos da Raposa como mandante.

Cruzeiro evita o combate e adota a conversa

Os horários dos jogos da primeira fase do Campeonato Mineiro não foram bem recebidos pelo Cruzeiro. Mas num primeiro momento, a diretoria celeste vai adotar uma postura de diálogo. Como vai procurar a FMF para tentar alterar os horários de algumas partidas, o clube ainda não vai se manifestar de forma oficial.

Ao adotar uma postura mais cautelosa, o Cruzeiro evita aumentar a ira da torcida, que mais uma vez se sente boicotada pela entidade que comanda o futebol mineiro. Sem uma pressão maior do que já existe, a direção cruzeirense está confiante de que terá sucesso na solicitação de mudanças de horários.

Para alavancar o programa de sócio-torcedor, a Raposa vai dar ingressos para quem está em dia com o pagamento da mensalidade para os dois primeiros jogos do Estadual. Certamente jogar à tarde numa quarta-feira não ajuda em nada no planejamento financeiro do Cruzeiro.

Futebol