PUBLICIDADE
Topo

São Paulo reunirá conselho para discutir novo estatuto que traz reeleição

Julio Casares, presidente do São Paulo - Rubens Chiri / saopaulofc.net
Julio Casares, presidente do São Paulo Imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

10/11/2021 18h32

A política do São Paulo se movimenta para debater duas mudanças importantes no clube. Hoje (10), foi convocada uma reunião do conselho deliberativo para discutir a reforma estatutária que permitiria uma reeleição ao presidente, que atualmente exerce apenas um mandato de três anos. Também foi publicado um ato administrativo do presidente Júlio Casares para a criação de uma comissão para estudar a separação do clube social do futebol.

A reforma do estatuto foi proposta por um grupo de mais de 80 conselheiros são-paulinos. As principais mudanças dizem respeito ao tempo de mandato dos conselheiros, que subiria de três anos para seis anos, e a liberação para a reeleição do presidente. De acordo com fontes próximas à atual diretoria, Casares ainda não indicou se fará uso do artigo, caso aprovado, para buscar um segundo mandato à frente do São Paulo.

A proposta também prevê uma diminuição no número de conselheiros de 260 para 200. No caso dos conselheiros vitalícios, a mudança seria de 160 para 120 membros. A votação acontecerá no próximo dia 18 de novembro, às 19h30. Para ser aprovada, a proposta precisa de 131 votos.

A proposta é vista por membros da oposição como um dificultador para mudanças dentro do clube. Atualmente, são necessárias 55 assinaturas de conselheiros vitalícios para a criação de uma chapa apta a disputar as eleições. A diminuição de vitalícios é vista pelos opositores como uma complicação para a criação de alternativas à atual diretoria.

Já a proposta de separação do clube social do futebol levará mais tempo. Inicialmente, será criado um comitê para estudar maneiras de viabilizar o projeto. O advogado tributarista Juliano Di Pietro foi nomeado por Júlio Casares para liderara a equipe que contará com Adilson Alves Martins, José Alberto dos Santos e Vinicius Medeiros Leite, membros do Conselho de Administração do São Paulo.

A equipe tem o prazo de um ano para apresentar a proposta ao Conselho de Administração. Na sequência, o projeto irá para o Conselho Consultivo e o Deliberativo. Caso seja aprovado, o clube realizará uma assembleia geral entre os sócios, que votarão o projeto.

A análise da viabilidade de separar o clube social do futebol é uma promessa de campanha do presidente Júlio Casares. Recentemente, um movimento teve início nas redes sociais com a hashtag "separa, São Paulo".

O São Paulo já havia discutido uma separação entre clube social e futebol em 2018. Na ocasião, o ex-presidente José Eduardo Mesquita Pimenta foi nomeado para presidir a comissão que analisaria a proposta feita pelos advogados José Francisco Manssur e Rodrigo Monteiro de Castro a partir de um estudo da consultoria. Pimenta considerou o projeto inviável por questões tributárias e a proposta não avançou internamente.