PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

André Rocha: "Kenedy mostrou seu valor e que pode ser útil ao Flamengo"

Do UOL, em São Paulo

13/10/2021 22h30

Classificação e Jogos

Sem dificuldades, o Flamengo venceu o Juventude por 3 a 1 nesta quarta-feira (13), no Maracanã, pela 26ª rodada do Brasileirão. Como o líder Atlético-MG ganhou por 3 a 1 do Santos, a diferença entre Galo e Fla se manteve em onze pontos - os rubro-negros têm dois jogos a menos em relação ao time mineiro.

Na Live do Flamengo, programa do UOL Esporte logo após os jogos do Mengão, os jornalistas André Rocha e Renato Maurício Prado analisaram a partida. Eles destacaram alguns pontos positivos, como o time voltar a marcar um gol de falta e a boa atuação de Andreas Pereira. Mas outro jogador também ganhou elogios.

"Temos que ressaltar o Kenedy também. Para o momento em que ele estava readquirindo forma física e ritmo de jogo, fez um golaço e um ótimo primeiro tempo, se entendendo com o Matheuzinho. São duas boas notícias: enfim saiu o gol de falta e o Kenedy mostrou o seu valor e que pode ser útil. O Juventude não é muito parâmetro, mas, para o momento dele, render bem contra eles já é uma boa notícia para o Flamengo", disse André.

Renato também exaltou a atuação de Kenedy e avalia que o jogador deve ganhar moral na disputa por um espaço na equipe. "Não poderia ser melhor para o Flamengo abrir o placar com o Kenedy. Eu preferiria vê-lo na esquerda e o Michael na direita. Essa mania de jogar com pé trocado eu não gosto. Muitas vezes isso dificulta as jogadas de linha de fundo. O Kenedy fez um bom primeiro tempo e é muito importante para ele ganhar confiança. A gente já viu que a necessidade de usar reservas até o fim da temporada é muito grande", afirmou.

O gol de falta de Andreas Pereira amplia as opções do Flamengo em um momento decisivo na temporada, segundo André. "Os resultados foram importantíssimos e construídos com autoridade contra o Fortaleza e agora contra o Juventude, que é uma pedra histórica no sapato do Flamengo. A atuação no primeiro tempo foi com muita autoridade. Foi um golaço do Andreas Pereira e é importantíssimo o Flamengo ganhar essa opção de jogada, que decide ou descomplica jogos", opinou o colunista do UOL.

Para Renato, os reservas do Flamengo cumpriram um bom papel na ausência dos titulares, convocados por suas seleções para as partidas das Eliminatórias da Copa-2022. "Mais importante do que a vitória, para mim, foi um fato que não acontecia há três anos: um gol de falta do Flamengo, que jogou bem no primeiro tempo. No segundo, meramente administrou a partida e levou um golzinho. Os reservas fizeram o papel deles. Ou seja, estão entregando aos titulares, que voltam da seleção, a mesma distância que estavam para o Atlético-MG. No fim das contas, acaba sendo um bom negócio", comentou.

Outro ponto positivo, na visão de Renato, foi a pressão exercida pelo time da Gávea no campo de defesa do adversário. "O primeiro tempo, de uma maneira geral, foi muito bom. Gosto quando o Flamengo volta a marcar lá em cima. Não dá para jogar assim os 90 minutos, mas é bom ver o Renato voltando a usar isso e não com a marcação mais atrasada para proteger a defesa, principalmente contra adversários mais fracos. O Flamengo tem que se impor", enfatizou o colunista do UOL.

"O Flamengo teve essa postura e o segundo gol sai de uma pressão. Isso ajudou. Com tantos desfalques, ficou aquele receio de fazerem falta, mas acabou não fazendo muito em função da grande atuação do Andreas e, principalmente, pela boa participação do Kenedy, que não era esparada. O Renato Gaúcho lhe deu confiança, minutos, mas eu não imaginava que ele faria o gol que fez e o rendimento que teve", completou André.

Não perca! A próxima edição da Live do Flamengo será no domingo (17), logo após a partida contra o Cuiabá pelo Brasileirão. Você pode acompanhar o programa pelo Canal UOL, no app Placar UOL, na página do Flamengo no UOL Esporte e no canal do UOL Esporte no Youtube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol