PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ricardo Bueno teve ajuda de Diniz para se recuperar após baixa no Palmeiras

Rafael Marques disputa a bola com Ricardo Bueno durante o jogo entre Grêmio e Palmeiras no Olímpico - Edu Andrade/Agência Freelancer
Rafael Marques disputa a bola com Ricardo Bueno durante o jogo entre Grêmio e Palmeiras no Olímpico Imagem: Edu Andrade/Agência Freelancer

Flavio Latif

Do UOL, em São Paulo (SP)

10/09/2021 04h00

Classificação e Jogos

O experiente atacante Ricardo Bueno roubou a cena nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. Em um intervalo de nove dias, o jogador do Juventude marcou o gol que deu o empate ao time gaúcho contra o São Paulo, nos minutos finais, e também balançou as redes contra o Corinthians, na última terça-feira (7), no empate contra o Alvinegro, na Neo Química Arena.

Com os gols marcados contra os grandes paulistas, torcedores do Palmeiras se agitaram nas redes sociais ao lembrar a passagem de Ricardo Bueno pelo Palestra Itália —que não foi como todos esperavam. Em entrevista ao UOL Esporte, o jogador lembrou sua passagem pelo Alviverde e disse que um dos principais responsáveis pelo seu bom desempenho é o técnico Fernando Diniz, anunciado ontem (9) como novo treinador do Vasco.

"Tem uma pessoa [com] quem eu trabalhei e foi muito importante na minha vida, não só pelo trabalho em campo, mas também pela conduta de como ele leva o dia a dia no clube e como ele ajuda as pessoas e os jogadores. Esse cara é o Fernando Diniz. Dificilmente você vai achar alguém para falar mal dele. Ele me ajudou bastante e até mandei mensagem para ele após os últimos gols que marquei", revelou o atacante, que trabalhou com o treinador em 2016, quando o Osasco Audax e o Oeste fizeram uma parceria para a disputa da Série B.

Com a camisa do Palmeiras, Ricardo Bueno fez 30 jogos e marcou apenas quatro gols entre 2011 e 2012. Ele reconhece que sua passagem foi muito abaixo do esperado, ainda mais por causa de suas atitudes extracampo, mas ressaltou que não foi o único culpado pela falta de gols e o desempenho ruim da equipe como um todo.

"Quando eu cheguei no Palmeiras, existia uma expectativa muito grande em cima de mim. Eu tinha acabado de ser artilheiro do Campeonato Paulista de 2010, pelo Oeste. Eu era muito novo, tive alguns erros na minha vida pessoal e isso me atrapalhou muito", disse.

"Obviamente que não era só o Ricardo Bueno, tiveram algumas situações dentro do clube, o Palmeiras não vivia seu melhor momento, muita turbulência extracampo, o clube não ganha títulos há muito tempo, e a equipe não conseguia render o que a torcida esperava. Foi um conjunto de coisas que não encaminharam para eu conseguir emplacar e devolver a expectativa do torcedor comigo", completou.

Ricardo Bueno - Ettore Chiereguini/AGIF - Ettore Chiereguini/AGIF
Ricardo Bueno, atacante do Juventude, comemora gol marcado contra o Corinthians no Brasileirão
Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF

Ricardo Bueno foi contratado pelo Juventude para suprir a saída do principal jogador da equipe na competição, o atacante Matheus Peixoto —vendido para o Metal Kharkiv, da Ucrânia, e que tinha 12 gols em 27 partidas desde que havia chegado a Caxias do Sul. Hoje, o atacante diz estar na sua melhor forma física, técnica e tática.

"É um pouco difícil para as pessoas entenderem isso, mas aos 34 anos estou na minha melhor fase física, técnica e tática. Meu amadurecimento pessoal foi muito grande, consigo ter mais foco na parte profissional e entregar mais do que as pessoas esperam de mim. Ainda tenho muitos frutos para colher no futuro", concluiu.

Futebol