PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2021

Palmeiras domina o São Paulo, encerra tabu e avança à semi da Libertadores

Brunno Carvalho e Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

17/08/2021 23h22

Classificação e Jogos

O Palmeiras está na semifinal da Copa Libertadores. O Alviverde fez um de seus melhores jogos na temporada e eliminou o São Paulo em um mata-mata pela primeira vez desde a semifinal do Paulista de 2008. A vitória por 3 a 0 foi incontestável e refletiu uma supremacia alviverde ininterrupta no jogo, algo que não havia sido visto nos outros confrontos entre as duas equipes em 2021.

Raphael Veiga, um dos muitos destaques alviverdes na jornada, abriu o placar aos 10min no 1º tempo. Aquele que talvez seja o maior jogador do Palmeiras no século, Dudu, fez o segundo, aos 21 do segundo tempo. Patrick de Paula, que já havia sido o responsável pelo empate no Morumbi, deu números finais à partida aos 32.

O Palmeiras vai à semifinal da competição pela sexta vez, a segunda seguida, e enfrenta o vencedor do confronto entre Atlético-MG e River Plate (ARG), que se enfrentam na quarta-feira (18). A classificação encerra também um tabu histórico. O São Paulo eliminara o Palmeiras nos três mata-matas anteriores entre os clubes na competição continental (1994, 2005 e 2006)

Por fim, essa foi a primeira vitória de Abel Ferreira sobre o São Paulo em seis partidas, e veio no momento mais importante da temporada.

As duas equipes agora voltam a pensar no Brasileirão. Às 11h (de Brasília) do domingo, o Palmeiras recebe o Cuiabá. Às 20h30 (de Brasília) do mesmo dia, o São Paulo visita o Sport.

O melhor: Dudu

Assim como no jogo de ida, no Morumbi, Dudu foi o melhor jogador do Palmeiras e da partida. Jogando como meia, ora pela esquerda, ora pela direita, o camisa 43 não apenas fez um golaço que tranquilizou o jogo, mas também, juntamente com Veiga, orquestrou o time.

O pior: Arboleda

A marcação individual do Palmeiras deixou o zagueiro são-paulino em uma situação desconfortável. Sem opções de passe, ele se viu obrigado a tentar sair jogando por diversas vezes, quase sempre sem sucesso. No primeiro tempo, perdeu a bola no meio de campo, que permitiu um contra-ataque rápido palmeirense para abrir o placar.

Estratégia de Abel complica São Paulo no primeiro tempo

A marcação individual do Palmeiras complicou a saída de jogo do São Paulo no primeiro tempo. Com Rony marcando Miranda, Veiga em Léo e Dudu em Luan, um buraco se abria no meio de campo e forçava Arboleda a tentar sair jogando com a bola em busca de espaço. Nas vezes em que tentava sair tocando, o equatoriano quase sempre optava por Daniel Alves, que rapidamente via a marcação palmeirense dobrar para roubar a bola em velocidade.

Raphael Veiga abre o placar logo no começo

O Palmeiras abriu o placar quando começava a ser melhor que o São Paulo, aos 10min. Wesley tomou a bola de Arboleda sobre a linha lateral, próximo à linha da grande área verde. Zé Rafael pegou a sobra e atravessou todo o campo. Mesmo com Rony a seu lado, ele preferiu carregar e avançar até o outro lado da área. A enfiada para Raphael Veiga bater sem chance para Volpi foi perfeita. O São Paulo respondeu com chute de Nestor, que saiu por cima, pouco depois, aos 13min. Mas o Palmeiras seguiria mesmo com a vantagem por mais tempo.

Meias jogaram soltos e confundiram a defesa do São Paulo

Raphael Veiga jogava solto, aparecendo pelos dois lados do ataque. Foi pelo lado direito que ele recebeu no meio-campo, girou e lançou Danilo em profundidade pela direita, aos 25min. Como um ponta, o camisa 28 entrou pedalando, driblou Liziero pelo lado da área e cruzou para Rony. Léo desviou no último segundo e evitou a conclusão do camisa 7.

Gol não recuou o Palmeiras

Palmeiras manteve altas suas linhas de marcação, mesmo com a vantagem no placar. O 1 a 0, afinal, não mudava a tarefa tricolor, que precisava mexer no placar para ter a vaga. O Palmeiras continuou trabalhando para fazer o segundo gol, não se encolheu. Abel Ferreira fez a equipe passar a jogar num 3-5-2, com Wesley como ala pela esquerda e Rocha pela direita. Veiga e Dudu tinham liberdade, mas se mantiveram na direita e esquerda, respectivamente.

São Paulo quase empata no fim do 1º tempo

O São Paulo esteve muito perto do empate já nos acréscimos do 1º tempo. Após cobrança de escanteio do Palmeiras, obtida em chute perigoso de Raphael Veiga, Wesley e Danilo se atrapalharam no rebote, e o São Paulo avançou com Luan e Liziero, que partiu no mano a mano para cima de Marcos Rocha. Gustavo Gómez atravessou todo o campo para desarmar Liziero antes do arremate.

Crespo abre o São Paulo em busca do empate

A fraca atuação no primeiro tempo forçou Hernán Crespo a mexer na equipe são-paulina. O técnico argentino voltou do intervalo com João Rojas no lugar de Luan. A alteração fez com que o São Paulo abrisse mão da formação com três zagueiros, deslocasse Léo para a lateral-esquerda e montasse um 4-3-3, com o ataque formado por Rojas, Rigoni e Pablo.

A mudança abriu o jogo e tornou as movimentações são-paulinas perigosas. Ofensivamente, o São Paulo conseguia abrir a defesa do Palmeiras e apostar nos cruzamentos. Quando perdia a bola, no entanto, os contra-ataques alviverdes surgiam com mais perigo do que no primeiro tempo.

Foi pelos lados a melhor chance são-paulina. Aos 11 minutos, Rigoni fez boa jogada pela direita e tocou para Pablo na cara do gol. O camisa 9 dominou com espaço e soltou a bomba por cima da trave de Weverton.

Palmeiras mantém domínio e amplia

O Palmeiras seguiu melhor, ainda que o São Paulo tenha conseguido estocadas perigosas. A jogada que resultou no gol aos 21min foi a quinta ou sexta martelada seguida do Palmeiras no rival. Após reclamar pênalti em mão de Arboleda, o Palmeiras seguiu com a bola e trabalhou a jogada fora da área até Zé Rafael acionar Danilo, que fez o pivô e ajeitou para Dudu fazer um golaço.

Patrick deixa sua marca mais uma vez

O Palmeiras fechou a conta e selou a classificação aos 32min, com Patrick de Paula. O Palmeiras seguia trabalhando a bola fora da área, com muita consciência, até Danilo sair livre pela direita, dar belo drible em Léo e cruzar. A zaga do São Paulo cortou e Patrick de Paula pegou o rebote, ajeitou e bateu forte. A bola ainda desviou em Liziero e matou Volpi.

Vitor Bueno faz falta em Gómez e leva vermelho direto

O atacante são-paulino foi maldoso na jogada e atingiu o zagueiro palmeirense em jogada morta, sobre a linha de fundo defensiva verde. Com a perna esquerda, acertou a canela do paraguaio. Com a direita, pisou no tornozelo do capitão do Palmeiras.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 0 SÃO PAULO

Motivo: Jogo de volta das quartas de final da Libertadores
Data e hora: 17 de agosto de 2021, às 21h30
Local: Allianz Parque (SP)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Dionisio Ruiz e Wilmar Navarro (ambos da COL)
VAR: Julio Bansuñán (CHI)
Gols: Raphael Veiga (11'/1ºT), Dudu (21'/2ºT) e Patrick de Paula (32'/2ºT), para o Palmeiras
Cartões amarelos: Arboleda e Daniel Alves, pelo São Paulo
Cartões vermelhos: Vitor Bueno, pelo São Paulo

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez, Renan; Danilo, Zé Rafael (Patrick de Paula), Raphael Veiga (Piquerez), Dudu (Felipe Melo), Wesley (Gabriel Menino); Rony (Deyverson). Técnico: Abel Ferreira

SÃO PAULO: Volpi; Arboleda, Miranda, Léo; Daniel Alves, Liziero, Luan (Rojas), Rodrigo Nestor (Igor Gomes), Gabriel Sara (Vitor Bueno); Rigoni e Pablo (Éder). Técnico: Hernán Crespo