PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Uruguai vence e foge do Brasil, que terá o Chile pela frente nas quartas

Edinson Cavani comemora gol de pênalti pelo Uruguai em jogo contra o Paraguai pela Copa América - CARL DE SOUZA/AFP via Getty Images
Edinson Cavani comemora gol de pênalti pelo Uruguai em jogo contra o Paraguai pela Copa América Imagem: CARL DE SOUZA/AFP via Getty Images

Igor Siqueira

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/06/2021 22h52

Classificação e Jogos

Com um gol de Cavani, o Uruguai venceu o Paraguai, deu um salto na tabela e terminou na segunda colocação do Grupo A da Copa América. Ao sair do Nilton Santos com o placar de 1 a 0, a Celeste escapou de um confronto com o Brasil já nas quartas de final e terá a Colômbia como adversária na próxima fase. Ao fugir da equipe treinada por Tite, os uruguaios alcançaram a "precaução" a qual se referiu o técnico Oscar Tabárez.

Com isso, o primeiro enfrentamento da seleção brasileira no mata-mata será com o Chile, sexta-feira, no Nilton Santos, às 21h. O Brasil foi líder do Grupo B, com três vitórias e um empate, enquanto os chilenos terminaram em quarto, com cinco pontos (uma vitória, dois empates e uma derrota).

A classificação em segundo para o Uruguai veio depois de um início instável na Copa América, com derrota para Argentina e empate com o Chile. Mas os bons resultados diante da Bolívia e do Paraguai trouxeram a vaga com uma pontuação aceitável.

O jogo dos uruguaios contra a Colômbia será sábado, no Mané Garrincha, em Brasília, às 19h. Os paraguaios, por sua vez, irão ao Olímpico, em Goiânia, para o duelo com o Peru, às 22h.

Desenho uruguaio

Diante de um adversário que não é dos mais fortes na América do Sul, o Uruguai poupou Luís Suárez e começou o jogo apenas com Cavani no ataque. Maestro Tabárez desenhou a seleção em um sistema 4-1-4-1, que variava dependendo do comportamento de Arrascaeta. O meia do Flamengo teve muita liberdade para mudar de lado, encostar em Cavani e buscar os melhores espaços. Tanto que caíram nos pés dele as duas melhores chances do Uruguai antes dos 20 minutos. A bola passou perto e duas finalizações.

Desenho paraguaio

O Paraguai já chegou classificado e por isso também poupou um nome importante: o zagueiro e capitão Gustavo Gomez, do Palmeiras. A proposta inicial do time de Eduardo Berrizo foi se fechar, até pela desvantagem técnica. Gabriel Ávalos ficou muito isolado na frente e teve trabalho no enfrentamento com a dupla Giménez e Godín. Na etapa inicial, nenhum trabalho para o goleiro Muslera.

Pênalti decisivo

A superioridade uruguaia no jogo achou a ocasião certa para se converter em gols quando Nández foi derrubado por Ángel Romero. O árbitro Raphael Claus anotou a penalidade. Coube a Cavani converter. Na comemoração, o atacante deu trabalho foi para o gandula porque isolou a bola que voltou após estufar a rede. A redonda caiu no fosso do setor leste, dando até um susto no segurança que estava por lá.

Choro paraguaio

Além de perder o jogo, o Paraguai se deparou com um problema que pode atrapalharas pretensões de sobrevivência na Copa América. O principal jogador da seleção, o meia Miguel Almirón, saiu do jogo ainda aos 33 minutos do primeiro tempo em lágrimas por causa de uma lesão muscular. Exames vão definir de forma exata a gravidade.

Gramado

O Nilton Santos voltará a receber a seleção brasileira nas quartas de final, sexta-feira. O gramado que foi alvo de críticas ao longo da competição pelo menos aparentou estar em melhores condições no Uruguai x Paraguai. As duas seleções se aqueceram no campo, que pareceu responder melhor à exigência do jogo do que em partidas anteriores. Na preparação para Copa América, a Conmebol plantou 500 kg de sementes de inverno, trocou a parte do gramado que fica próxima aos gols e fez três aplicações de adubo líquido.

Pistoleiro com apetite

No segundo tempo, Cavani foi poupado e deu lugar a Luís Suárez. O pistoleiro entrou querendo jogo. Com o Paraguai mais adiantado, o gatilho para contra-ataques ficou por conta dos uruguaios. A cada subida promissora em velocidade, Suárez urrava pedindo bola. A melhor chance veio após um belo toque de calcanhar de Facundo Torres, mas a finalização do camisa 9 saiu fraca. Quando não recebia, Suárez reclamava muito com os companheiros. Suárez teve mais chances de marcar em cobranças de falta. Na primeira, bateu muito mal e acertou a barreira. Na segunda, pegou melhor na bola, mas o chute passou perto do ângulo.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI 1 X 0 PARAGUAI

Competição: Copa América, 5ª rodada
Local: estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 28 de junho de 2021 (segunda-feira), às 21h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (BRA)
Assistentes: Danilo Manis e Bruno Pires (BRA)
VAR: Wagner Reway (BRA)
Cartões amarelos: Alderete, Júnior Alonso (PAR)

GOLS: Cavani, aos 20/1ºT (1-0)

Uruguai: Muslera, Nández, Giménez, Godín (Coates) e Viña; Vecino (Cáceres), Bentancur, Valverde (Torreira), De La Cruz e Arrascaeta (Facundo Torres); Cavani (Suárez). Técnico: Oscar Tabárez

Paraguai: Antony Silva, Espínola (Héctor Martínez), Robert Rojas, Júnior Alonso e Alderete; Gastón Giménez (Richard Sánchez), Villasanti e Miguel Almirón (Oscar Romero); Braian Samudio (Cubas), Ángel Romero e Gabriel Ávalos (Carlos González). Técnico: Eduardo Berrizo

Esporte