PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Brasil sofre sem Neymar, e só empata com o Equador pela Copa América

Siga o UOL Esporte no

Danilo Lavieri, Éder Traskini e Gabriel Carneiro

Do UOL, em Goiânia

27/06/2021 19h56

Classificação e Jogos

Escalada com dez mudanças em relação à rodada anterior, a seleção brasileira encerrou a primeira fase da Copa América com empate em 1 a 1 com o Equador, hoje (27), no estádio Olímpico de Goiânia. Éder Militão e Ángel Mena fizeram os gols, um em cada tempo.

Os comandados de Tite já haviam garantido a classificação antecipada para as quartas de final como líderes do Grupo B com uma rodada de antecedência, então, o jogo de hoje serviu para experiências na equipe com jogadores que tinham poucos minutos, como Emerson e Vini Jr, para poupar pendurados, como Alex Sandro, Neymar e Gabriel Jesus, e simplesmente cumprir tabela. Tudo isso se traduziu numa partida sem muitos pontos positivos na equipe. Para os equatorianos, o ponto valeu a classificação para a próxima fase.

O Brasil abre o mata-mata na próxima sexta-feira (2), às 21h, no estádio Nilton Santos, contra Chile ou Uruguai. O Grupo A fecha a fase de grupos só amanhã, quando será definido também o adversário do Equador.

Paquetá bem de novo

Paquetá - Francisco Stuckert/Fotoarena/Estadão Conteúdo - Francisco Stuckert/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Jogadores do Brasil comemoram gol sobre o Equador, pela Copa América
Imagem: Francisco Stuckert/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Paquetá já tinha entrado bem contra a Colômbia, mas foram só 35 minutos em campo. Hoje começou como titular e mostrou que merece mais espaço na Copa América. Ativo para começar a construção das jogadas perto de Fabinho e Douglas Luiz, até roubar bola ele roubou. Quando partia da direita para o centro, ele também conseguia trocas de passes com muita fluidez para ajudar o ataque, como no lance do primeiro gol e também numa chance perdida por Vini Jr já na etapa complementar.

Firmino desperdiça chance

Escalado na função de Neymar, que é por vezes um meia armador e por vezes o centroavante do time, ou seja, com liberdade total de movimentação no ataque, o jogador do Liverpool não conseguiu desempenhar o melhor de seu futebol mais uma vez. Firmino não chutou nenhuma bola ao gol e nem sequer deu algum passe que pudesse desequilibrar a zaga do Equador, além de errar quase 20% de suas tentativas de passe. Apagado, saiu no segundo tempo.

Tempos distintos

Emerson - Heber Gomes/AGIF - Heber Gomes/AGIF
Emerson, do Brasil, sofre marcação no jogo com o Equador, pela Copa América
Imagem: Heber Gomes/AGIF

Os primeiros movimentos da seleção em Goiânia mostraram um esquema tático 4-2-4 com a bola, com Cebolinha e Paquetá bem abertos e Firmino e Gabigol mais centralizados, sendo o jogador do Liverpool numa linha um pouco mais baixa, como armador, para reproduzir o que faz Neymar no time ideal. O protagonista das jogadas ofensivas, no entanto, foi outro: Paquetá. Ele chutou a gol, deixou Gabigol na cara de Galíndez e participou até do lance em que o Brasil abriu o placar tabelando com Emerson antes da falta.

Por falar no lateral direito que teve sua primeira oportunidade como titular na Copa América, a seleção investiu demais na liberdade de movimentação de seus laterais —Renan Lodi foi o titular pela esquerda. Não foi incomum vê-los alinhados ao quarteto de ataque para dar amplitude ou à dupla de volantes para facilitar as trocas de passes. Ou mesmo um em cada uma dessas linhas, mas sempre com chegada ao ataque.

O panorama mudou quando Renan Lodi sentiu dores nas costas e precisou sair no comecinho do segundo tempo. Danilo, acostumado a jogar na lateral esquerda no futebol europeu, foi o substituto e podia ter sido mais ativo na jogada do gol de empate equatoriano, um bate-rebate dentro da área depois de alguns minutos em que os visitantes criaram perigo mais de uma vez. O Brasil tentou reagir com as entradas de Casemiro, que soltou Fabinho para o jogo ofensivo, e Vini Jr, depois Richarlison e Everton Ribeiro, mas o jogo seguiu com poucos espaços e inspiração.

No fim, os dois times diminuíram a intensidade até o último apito.

Os gols

Brasil - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Militão, do Brasil. celebra gol sobre o Equador, em duelo pela Copa América
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Éder Militão balançou as redes aos 36 minutos do primeiro tempo. Emerson tentou partir para a linha de fundo após tabela com Paquetá, mas sofreu falta de Estupiñán. Éverton Cebolinha fez a cobrança no meio da área e o zagueiro cabeceou no ângulo, sem defesa. O empate saiu aos sete minutos da etapa complementar, quando um cruzamento fruto de escanteio não foi afastado pela defesa e Mena finalizou com força.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 x 1 EQUADOR

Competição: Copa América, 5ª rodada
Local: estádio Olímpico de Goiânia, em Goiás
Data/hora: 27 de junho de 2021 (domingo), às 18h (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann e Claudio Rios (ambos do Chile)
VAR: Julio Bascuñán (Chile)
Cartões amarelos: Estupiñãn (Equador)

GOLS: Éder Militão, aos 36/2ºT (1-0), Ángel Mena, aos 7/2ºT (1-1).

Brasil: Alisson; Emerson, Éder Militão, Marquinhos e Renan Lodi (Danilo, aos 3/2ºT); Fabinho e Douglas Luiz (Casemiro, aos 17/2ºT); Éverton Cebolinha (Richarlison, aos 31/2ºT), Lucas Paquetá (Everton Ribeiro, aos 31/2ºT), Roberto Firmino (Vini Jr, aos 17/2ºT) e Gabigol. Técnico: Tite.

Equador: Hernán Galíndez; Angelo Preciado, Arboleda, Hincapié e Diego Palacios (Gonzalo Plata, aos 26/2ºT); Jhegson Méndez, Moisés Caicedo (Ángel Mena, aos 16/1ºT), Alan Franco e Pervis Estupiñán; Enner Valencia (Campana, aos 37/2ºT) e Ayrton Preciado (Pineida, aos 37/2ºT). Técnico: Gustavo Alfaro.

Esporte