PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Volante do Paraguai que gerou saia justa a técnico quase jogou no Brasil

Villasanti (d) foi alvo de dois clubes brasileiros e liderou movimento cobrando salários atrasados  - Juan I. Roncoroni-Pool/Getty Images
Villasanti (d) foi alvo de dois clubes brasileiros e liderou movimento cobrando salários atrasados Imagem: Juan I. Roncoroni-Pool/Getty Images

Marinho Saldanha

Do UOL, em Brasília (DF)

24/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Mais do que a derrota para Argentina na última segunda-feira, uma pergunta irritou o técnico Eduardo Berizzo, do Paraguai: por que sacou Matías Villasanti da equipe? A resposta ríspida não deu qualquer detalhe sobre o jogador, que por pouco não jogou no Brasil e liderou movimento por pagamento de salários atrasados no Cerro Porteño.

"Porque jogaram outros. A pergunta é sempre sobre o ausente. Quando joga um é sobre outro. Não tem sentido responder esta pergunta", disse Berizzo, visivelmente incomodado.

Villasanti tinha sido titular na vitória sobre a Bolívia. Sua trajetória na seleção é firme, apesar da pouca idade. Com somente 24 anos, ele carrega histórico de convocações para base e 11 partidas oficiais pela equipe principal.

No Cerro Porteño, clube que defende desde 2019, assumiu posto de liderança do grupo. Tanto que foi ele o responsável por liderar um movimento que cobrava o pagamento de salários atrasados. Em maio, prestes a encarar o Atlético-MG pela Libertadores, o Cerro devia aos atletas, que se organizaram e decidiram não concentrar antes do jogo. Coube a Villasanti informar a situação.

"Devido ao débito financeiro de vários meses que o clube mantém com todo o elenco, decidimos, juntos, não nos concentrar antes da partida da Copa Libertadores contra o Atlético Mineiro. Cabe esclarecer que esta medida não vai mudar em nada, o esforço e o empenho que teremos ao jogar esta partida, assim como temos feito desde o início do ano. Esperamos e confiamos em uma solução rápida para esta situação", publicou o jogador em seu perfil no Instagram.

Em campo, o Galo venceu por 1 a 0, mas não impediu o Cerro de se classificar para as oitavas de final. No caminho, o próximo rival será o Fluminense.

Alvo de brasileiros e norte-americanos

Villasanti por pouco não parou no Brasil. Dois clubes da Série A já sondaram o atleta para eventuais negociações. O primeiro foi o Grêmio, que se aproximou do Cerro no acerto por Diego Churín e tentou fazer um "pacote" levando para Porto Alegre também o volante paraguaio. Mas, devido ao alto valor solicitado, não teve sucesso na investida.

O Palmeiras também já sondou empresários e o Cerro para tentar a chegada do marcador. Da mesma forma, a negociação não evoluiu.

Quem esteve mais próximo e ainda pretende investida por ele é o Atlanta United, dos Estados Unidos. A equipe tem a concorrência do Los Angeles FC na disputa pelo paraguaio.

Villasanti é dúvida no time que encara o Chile, hoje (24), às 21h (de Brasília), no Mané Garrincha. Se ficar fora, certamente mais questões irão incomodar o técnico Eduardo Berizzo, que fatalmente não irá responder, pois, segundo ele, "não faz sentido".

Esporte