PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Tite pede calma com Gabigol e critica quem desvaloriza rivais da seleção

Danilo Lavieri e Gabriel Carneiro

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/06/2021 00h05

Classificação e Jogos

A seleção brasileira goleou o Peru por 4 a 0 na segunda rodada da Copa América com três gols marcados no segundo tempo. O técnico Tite fez duas substituições logo no intervalo, com Richarlison e Everton Ribeiro nas vagas de Gabigol e Éverton Cebolinha. Em entrevista coletiva pós-jogo, o comandante foi questionado sobre a nova chance que deu para Gabigol como centroavante titular sem que ele entregasse bom desempenho.

"Calma, o futebol é feito de calma. A gente cria expectativa excessiva. Assim como Everton Ribeiro. A gente mexeu a equipe toda, com seis modificações. A mecânica... O futebol é uma engrenagem, demora a se ajustar. No segundo tempo, a gente trouxe como estratégia [as substituições], porque entendia que o jogo pedia isso. A entrada do Everton Ribeiro trouxe uma situação melhor. Talvez se tivesse o Everton com Neymar e Gabigol poderia ser melhor, o Cebolinha podia ser melhor. A gente tem que ter calma para fazer engrenagem e ajuste", disse.

Gabigol ganhou a chance contra o Peru porque tinha entrado bem contra a Venezuela na estreia da Copa América. Desta vez, no entanto, produziu só nove ações com bola e saiu no intervalo para que o time engrenasse ofensivamente. O auxiliar Cleber Xavier ainda complementou a resposta de Tite dizendo que o atacante do Flamengo não teve espaço, mas que "as oportunidades vão aparecer e ele vai brilhar".

Outro momento de destaque da entrevista coletiva no estádio Nilton Santos foi quando Tite foi questionado sobre a falta de confrontos contra times europeus no ciclo da seleção brasileira para a Copa do Qatar. Ele respondeu que não se pode desvalorizar os times que o Brasil enfrenta nas Eliminatórias e na Copa América.

"Nós queríamos a seleção da Espanha, de Portugal, todas as europeias se tivesse calendário que nos proporcionasse outras situações. Mas aqui a gente ficaria pensando na situação imaginária. O Peru fez na Copa grandes jogos e foi eliminado em uma segunda fase para a França. Foi nosso último título disputado na Copa América... Também não vejo assim, de forma a desvalorizar os nossos confrontos. É Argentina de Messi, Lautaro, Aguero, o Chile de Sanchez, a Colômbia de Mina, Cuadrado, o Uruguai de Suárez, Cavani e Godin", enumerou.

Leia outras declarações de Tite:

SOBRE NEYMAR

"Eu não sei onde o Neymar pode chegar. Pela capacidade técnica, eu torço muito para ele ter saúde e não machucar. Essa maturidade e que a gente está conseguindo dentro da seleção e acredito que em parte do clube também, dá liberdade criativa a ele. Ele tem dado uma parcela de contribuição de equipe, até no perde-pressiona, nós damos uma área de ação maior para ele para que ele exploda todo o talento e faça suas jogadas criativas de talento."

"Antes do Neymar tem um conjunto que abastece o Neymar em um lugar importante onde ele pode produzir. Tem um conjunto de equipe harmonioso que ele deve ser abastecido. Eles merecem, uma equipe que o ataque precisa da defesa para construir. E a defesa para não tomar gol precisa do ataque para tirar espaço."

PROBLEMAS NO PRIMEIRO TEMPO

"O primeiro tempo não foi que a gente previa, na nossa construção, ele ficou abaixo. Por alguns motivos, na intensidade do Peru, na qualidade da marcação. A nossa saída de bola, de passe nervoso, aquele passe no chão e triangulação próxima... É própria de uma equipe muito modificada. Monta a equipe toda de vocês da imprensa e troca duas ou três peças (risos). Assim tal qual é com vocês, é conosco."

Seleção Brasileira