PUBLICIDADE
Topo

Copa do Brasil - 2021

Desfalcado, Grêmio vence o Brasiliense e abre vantagem na Copa do Brasil

Do UOL, em Porto Alegre

02/06/2021 18h22

Classificação e Jogos

O Grêmio entrou em campo repleto de desfalques por causa da covid-19. Ainda assim, foi soberano contra o Brasiliense, na Arena, em duelo de ida pela terceira fase da Copa do Brasil. Hoje (2), o Tricolor fez 2 a 0 e abriu boa vantagem na competição.

Com o placar, o time gaúcho avança para próxima fase com qualquer vitória, empate ou até mesmo derrota por um gol de diferença no duelo de volta, dia 10, no Distrito Federal. Em caso de derrota por dois de diferença, a decisão será nos pênaltis. Vitória por três ou mais leva o Jacaré adiante.

O Grêmio volta a campo no domingo, quando encara o Santa Cruz-RS em jogo válido pela Recopa Gaúcha. O Brasiliense joga no sábado, pela Série D, contra o Goianésia.

Ricardinho marca, mas perde chance incrível

O centroavante fez mais um gol com a camisa do Grêmio. No primeiro tempo, aproveitou uma sobra na área e colocou na rede. Mas, na etapa final, perdeu uma chance inacreditável. Sem goleiro, dentro da pequena área após cruzamento de Léo Chú, acertou na trave.

Goleiro vai bem, mas erra tiro de meta

O goleiro Sucuri, do Brasiliense, fazia bom jogo e tinha várias defesas importantes. Mas cometeu um erro básico numa cobrança de tiro de meta. Colocou a bola nos pés do ataque gremista e o lance acabou em gol de Jean Pyerre. A falha, porém, não abalou o camisa 1, que seguiu evitando gols do adversário.

Kannemann e Geromel juntos após quatro meses

Dupla de zaga consagrada no Grêmio, Kannemann e Geromel voltaram a jogar juntos depois de quatro meses. O argentino se recuperou de um problema no quadril e já tinha ficado no banco no último jogo. Desta vez começou como titular ao lado do colega. Em campo, foram seguros e garantiram tranquilidade ao time.

O jogo do Grêmio: Superioridade e muitas conclusões

O Grêmio foi superior em todas as fases do jogo. Estabelecido no modelo de jogo de Tiago Nunes, o time construiu suas jogadas com avanços de Jean Pyerre e Lucas Silva, e penetrações em diagonal de Léo Chú e Jonathan Robert. Sem sucesso para entrar na área, a solução encontrada foi concluir de longe. Parando no goleiro Sucuri, o Tricolor buscou alternativas e passou a trocar passes para atrair o rival. A estratégia deu certo e, após avanço da linha de meio do Brasiliense, sobrou espaço para uma tabela acabar no gol de Ricardinho. No segundo tempo, o comando das ações seguiu, com uma vitória construída com certa tranquilidade.

O jogo do Brasiliense: Sucuri teve trabalho

O goleiro Sucuri teve trabalho. Sobraram conclusões de longe e cruzamentos desde o início do jogo. Posicionado defensivamente, o Brasiliense só conseguiu "respirar" em raros movimentos ofensivos utilizando muito os lados de campo. Mas foram poucas chances de gol. Depois de ser ameaçado várias vezes, a equipe do Distrito Federal acabou sofrendo o gol inaugural, no fim do primeiro tempo, que obrigou avanço na etapa complementar. Ao caminhar para frente, a equipe deu espaços e viu o rival crescer. Numa falha em um tiro de meta de Sucuri, o placar ficou ainda mais largo. Oportunidades, então, até surgiram, mas foram desperdiçadas.

Analista de desempenho no comando

O surto de covid-19 modificou o comando do Grêmio. Com Tiago Nunes e o auxiliar Evandro Fornari afastados após testarem positivo, e o auxiliar, Kelly, afastado por suspeita (testou negativo), coube a Pedro Sotero, que é analista de desempenho, orientar o time do reservado da Arena.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 2 X 0 BRASILIENSE

Data: 02/06/2021 (Quarta-feira)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Alexandre Tavares de Jesus
Auxiliares: Michael Correia e Carlos Henrique de Lima Filho
Cartões amarelos: Badhuga, Weverton Gorduxo, Zé Love, Lídio (BRA); Vanderson, Lucas Silva (GRE);
Gols: Ricardinho, do Grêmio, aos 43 minutos do primeiro tempo; Jean Pyerre, do Grêmio, aos 3 minutos do segundo tempo;

Grêmio: Paulo Victor; Vanderson, Geromel, Kannemann e Cortez; Thiago Santos, Lucas Silva (Bobsin) e Jean Pyerre; Jonatha Robert (Gui Azevedo), Léo Chú (Léo Pereira) e Ricardinho (Churín).
Técnico: Pedro Sotero (analista de desempenho)

Brasiliense: Edmar Sucuri; Diogo, Badhuga, Gustavo Henrique e Weverton Gorduxo (Balotelli); Lídio, Sandy, Peninha (Jorge Henrique) e Didira (Zotti); Luquinhas (Miltom Jr) e Zé Love (Romarinho).
Técnico: Vilson Taddei