PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Súmula da final do Nordestão cita cinco expulsos e tentativa de agressão

Confusão começou após o título do Bahia diante do Ceará - Reprodução/Nordeste FC
Confusão começou após o título do Bahia diante do Ceará Imagem: Reprodução/Nordeste FC

Bruno Fernandes e Josué Seixas

Colaboração para o UOL, em Maceió

09/05/2021 10h06

Classificação e Jogos

Após o título da Copa do Nordeste, conquistado de maneira dramática pelo Bahia contra o Ceará ontem (8), o que se viu em campo, antes da comemoração do Tricolor de Aço, foi uma enorme confusão, envolvendo dezenas de jogadores dos dois times. De acordo com a súmula do árbitro Denis Ribeiro, a briga foi iniciada por conta de uma provocação do lateral Nino Paraíba, do Bahia, que estava suspenso da partida disputada no estádio Castelão, em Fortaleza.

Em seu relato, Ribeiro afirma usou as imagens do VAR para examinar o incidente e expulsar cinco jogadores: Jael, Gabriel Dias e Mendonza, no Ceará, e Juninho e Daniel pelo Bahia: "Devido o tumulto generalizado não foi possível a apresentação do cartão vermelho aos atletas expulsos".

A agressão que dá início ao tumulto é a do atacante Jael em Nino Paraíba, um soco nas costas, de acordo Denis Ribeiro. "Expulsei com cartão vermelho direto, após finalizada a partida, o sr. Jael Ferreira Vieira, número 9 da equipe do Ceará Sc, por golpear com um soco nas costas o atleta do EC Bahia não relacionado na partida, sr. Severino de Ramos Clementino da Silva, após provocação desse atleta não relacionado. (...) Após esta agressão, que teve início a partir da provocação do atleta não relacionado que invadiu o campo para comemorar, teve início um confronto generalizado", relatou o árbitro.

A confusão escalonou quando Nino Paraíba revidou o ataque em Mendonza, camisa 10 do Ceará, que revidou. Com as imagens, o árbitro percebeu que Mendonza se afastou da confusão e buscou uma cadeira, que estava próxima das arquibancadas, e voltou para o tumulto, só sendo contido pelos companheiros do Ceará. Ainda assim, Mendonza esteve em mais atritos, já que as expulsões de Daniel e Juninho, do Bahia, vieram justamente por agredir o colombiano com chutes.

A expulsão de Gabriel Dias, do Ceará, também se deu pelo tumulto. Na súmula, está escrito que o cartão vermelho veio "por dar um chute na perna do atleta não relacionado na partida, sr. severino de ramos clementino da silva. Em seguida, agrediu com um chute na perna e um soco no rosto o seu adversário, número 40, José Carlos Ferreira
Junior".

O Bahia venceu o jogo em campo, pelo placar de 2 a 1, levando a decisão para os pênaltis —o placar agregado em 180 minutos foi de 2 a 2. No desempate, o Esquadrão de Aço derrotou o vozão por 4 a 2 e conquistou o tetracampeonato do Nordestão. Agora, o time está empatado com o Vitória. O Ceará permanece com dois títulos.

Futebol