PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio tem nova audiência para compra da Arena e renova esperança

Lucas Uebel/GFBPA
Imagem: Lucas Uebel/GFBPA

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

03/03/2021 04h00

A compra da gestão da Arena do Grêmio segue sendo assunto. No final de fevereiro, Grêmio, Prefeitura de Porto Alegre, Ministério Público, Arena Porto-Alegrense e mais duas empresas se reuniram em audiência na 10ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre. O encontrou serviu para atualizar o status das tratativas entre as partes e terminou com agendamento de novo encontro para 25 de março.

Apesar do prazo adicional, a cúpula do Tricolor mantém otimismo e renova esperança de obter aval jurídico para avançar na chamada 'última fase' do negócio.

A Arena do Grêmio, inaugurada em dezembro de 2012, hoje é administrada pela Arena Porto-Alegrense, empresa criada pela OAS (construtora responsável por erguer o estádio). O Grêmio tem participação na SPE (Sociedade de Propósito Específico), mas não é o gestor.

Em termo de audiência, a juíza Nadja Mara Zanella registrou que Grêmio e os demais envolvidos seguem em tratativas para concluir a negociação.

"As partes ratificam mais uma vez o propósito de obter um acordo definitivo, noticiando que desde dezembro de 2020 vem sendo realizadas tratativas extrajudiciais para ajuste das cláusulas do acordo, já havendo consenso quanto as bases (sic) do acordo definitivo", escreveu a magistrada.

Aos olhos do Grêmio, a audiência de 25 de fevereiro já poderia ter sido conclusiva. Ainda assim, os dirigentes saíram satisfeitos pelo fato de todas as partes terem mantido o estágio.

"Estou confiante. A discussão está em detalhes, mas as partes estão acertadas", disse Romildo Bolzan Júnior, presidente do Grêmio.

Segundo apurou o UOL Esporte, a estimativa do Grêmio para conclusão total do acordo é de mais seis meses. A previsão tem o ato chamado de troca de chaves como marco final. A etapa é, efetivamente, a troca da área do antigo estádio Olímpico pela gestão da Arena do Grêmio.

Entenda o caso

Em dezembro de 2020, Ministério Público do Rio Grande do Sul, Prefeitura de Porto Alegre, OAS Investimentos, Arena Porto-Alegrense, Karagounis Participações, Albizia Empreendimentos, Acauã Empreendimentos e Grêmio encaminharam um chamado 'protocolo de intenções' para o acordo final. Também foi definido um cronograma de tratativas.

Em audiência judicial, a OAS Investimentos topou assumir as obras de compensação ao impacto ambiental no entorno da Arena do Grêmio. A Arena Porto-Alegrense se comprometeu com outro ajuste de infraestrutura, a desobstrução de rede coletora de água pluvial em ruas próximas ao estádio.

Na mesma audiência, foi citado que o Grêmio aparecerá somente por obrigação, em virtude de acerto prévio onde o clube assumiu o pagamento de R$ 37,8 milhões em 58 parcelas. Os valores só começarão a ser quitados a partir da conclusão judicial do acordo em questão.

A ideia da diretoria do Tricolor gaúcho, com a gestão da Arena do Grêmio, é turbinar receitas de jogos e explorar comercialmente o equipamento. As negociações para antecipar o controle do estádio foram iniciadas em 2013, pelo então presidente Fábio Koff.

Futebol