PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'Anárquico' e goleador: Cristiano Ronaldo estreava por Portugal há 20 anos

Atacante em ação na Copa de 2006; estreia ocorreu no dia 24 de fevereiro de 2001 - AFP PHOTO / NICOLAS ASFOURI
Atacante em ação na Copa de 2006; estreia ocorreu no dia 24 de fevereiro de 2001 Imagem: AFP PHOTO / NICOLAS ASFOURI

Do UOL, em São Paulo

24/02/2021 13h16

Há exatos 20 anos, Cristiano Ronaldo estreava com a camisa da seleção de Portugal, iniciando uma trajetória que mudaria a imagem tanto do jogador quanto do próprio país.

O duelo em questão era contra a África do Sul, válido pelo Torneio Internacional de Futebol Cidade de Torres Novas e Rio Maior. O jogador representava a equipe juvenil da seleção europeia e foi titular.

Já com faro de gol, o então garoto de 16 anos balançou as redes aos 40 minutos do 1° tempo, quando a partida já estava em 1 a 0 para seu time. No 2° tempo, o adversário chegou a diminuir, mas não conseguiu o empate. O futuro melhor jogador do mundo ficou em campo até os 35 da etapa final.

Além de CR7, segundo a RTP, foram utilizados 14 jogadores na equipe portuguesa - de todos eles, só o atacante conseguiu chegar à seleção principal (dois anos depois) e apenas mais um - Fernando Alexandre - teve uma carreira com alguma repercussão nacional.

"Hoje, olhamos para o Cristiano e vemos um jogador determinado, mas, na época, não podíamos imaginar o que ia acontecer. Tinha qualidade e talento, e foi cada vez melhorando mais. Também era notório que tinha algumas coisas diferentes dos outros, especialmente no aspecto individual. Ele não tinha medo de ninguém e partia para cima. Era bastante anárquico dentro do próprio jogo, muitas vezes não respeitava muito as questões de ordem tática, mas era um talento e tinha um potencial físico acima dos outros", disse, ao jornal O Jogo, o treinador da equipe portuguesa na época, Carlos Dinis.

Outro personagem do "batismo internacional" do craque foi o árbitro da partida, o sueco Jonas Eriksson, na época com 26 anos. Ele se aposentou após apitar a Copa do Mundo de 2014 e as Eurocopas de 2012 e 2016.

"Não sabia que tinha sido o primeiro jogo dele. Suspeitava porque me recordo de muitos outros jogadores da geração dele. Lembro-me, sobretudo, porque foi a primeira vez que apitei fora da Suécia", afirmou o agora ex-árbitro em entrevista ao jornal Record.

Futebol