PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Atlético-MG bate o Fortaleza, passa o São Paulo e dorme na vice-liderança

Do UOL, em Belo Horizonte

31/01/2021 18h59

Ainda sonhando com o título, o Atlético-MG venceu o Fortaleza por 2 a 0 e pulou para a segunda colocação do Brasileirão. A vitória do Galo no Mineirão foi construída no segundo tempo, com gols de Guilherme Arana e Vargas, no rebote do pênalti.

Com o resultado, o Atlético passa o São Paulo, que perdeu para o Atlético-GO, e vai aos 60 pontos na tabela. Além de secar o líder Internacional, o Galo ficará de olho no Flamengo, atual terceiro colocado, que jogará nesta segunda-feira. Já o Fortaleza permanece com 35 pontos e segue seu drama contra a degola, abrindo a zona de rebaixamento.

Quem foi bem: Mesmo sem gol, Savarino se destaca

Sem Keno, Savarino foi o principal responsável pelas ações ofensivas do Atlético no lado do campo. Pela direita, ele deu bastante trabalho ao lateral Carlinhos. No primeiro tempo, foi do venezuelano os dois passes (para Hyoran e Sasha) para os lances mais perigosos do Galo. Na etapa final, ele até marcou, mas o lance foi bem anulado por impedimento. Nos 90 minutos, outros destaques do Galo foram o lateral Arana e o zagueiro Réver.

Atlético exercita paciência em primeiro tempo com poucas chances

Ficou bem clara as estratégias das equipes. Como esperado, o Atlético teve mais posse e buscou o gol praticamente a todo momento, mas esbarrou na ótima marcação do Fortaleza. Bem compactado, o Leão fechou bem os espaços e só buscou atacar nos contra-ataques, o que não aconteceu com frequência. As duas melhores chances do primeiro tempo foram do Galo. Uma com Hyoran, que recebeu livre dentro da área, mas finalizou à direita da trave, e a outra com Sasha, que cabeceou perigosamente e forçou Felipe Alves a fazer ótima defesa com os pés.

Dedo de Sampaoli ajuda Atlético em primeiro gol

Desde o final do primeiro tempo, Sampaoli pediu para Guilherme Arana afunilar suas ações e se aproximar mais do meio do campo. No início do segundo tempo, no raro momento que o Fortaleza abriu espaço em sua grande área, o lateral surgiu como elemento surpresa e tocou de primeira o cruzamento de Hyoran, abrindo o placar para o Galo.

Vargas ocupa vaga de Keno, mas setor esquerdo fica improdutivo

Acostumado a jogar muito pelo lado esquerdo, onde depende da individualidade de Keno, o Atlético teve Vargas como substituto do atacante, ausente por conta de uma luxação no cotovelo. Mas a alternativa de Sampaoli não deu certo. Com o chileno, o time não teve velocidade e nem habilidade no um contra um. Coube a Savarino, pelo lado direito, concentrar as melhores ações no ataque.

VAR revisa dois pênaltis, mas só o Galo converte

Pouco depois do gol de Arana, Jackson bloqueou o chute de Sasha dentro da área. Leandro Vuaden deixou o jogo seguir, mas foi chamado à cabine do VAR para, em seguida, marcar o pênalti. O atacante Vargas viu Felipe Alves espalmar sua batida, mas pegou o rebote e anotou o segundo gol atleticano. Cinco minutos mais tarde, quando a partida parecia mais controlada, o VAR novamente chamou o árbitro, agora para marcar um pênalti de Jair em David. Para a sorte do Atlético, Oswaldo carimbou a trave direita de Everson.

ATLÉTICO-MG 2x0 FORTALEZA

Motivo: 33ª rodada do Brasileirão
Data/Hora: 31/01/2021, às 17h (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e José Eduardo Calza (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

GOLS: Guilherme Arana, 10'2ºT (1-0), Vargas, 21'2ºT (2-0)
Cartões amarelos: Jackson (FOR)
Cartão vermelho: Não teve.

Atlético-MG: Everson; Guga; Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Jair (Gabriel), Allan; Hyoran (Alan Franco), Savarino, Sasha (Nathan) e Eduardo Vargas (Marrony). Técnico: Jorge Sampaoli.

Fortaleza: Felipe Alves, Gabriel Dias, Jackson (Quintero), Wanderson e Carlinhos; Felipe, Ronald; Luiz Henrique (Mariano Vásquez), Tinga (Bergson), David (Éderson); Wellington Paulista (Osvaldo). Técnico: Léo Porto (auxiliar).