PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Lesão de Nenê é a quinta na carreira; meia perdeu apenas seis jogos em 2020

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

28/10/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Fluminense recebeu uma notícia tão ruim quanto inesperada ontem (27). Artilheiro do time na temporada com 19 gols, o meia Nenê sofreu uma lesão no músculo posterior da coxa esquerda e virou desfalque para Odair Hellmann no Campeonato Brasileiro. A contusão foi apenas a quinta em toda a carreira do jogador de 39 anos, que perdeu só seis jogos do Tricolor em 2020.

Das 44 partidas disputadas pelo Flu na temporada, Nenê esteve em campo em 38. Com ele, o Tricolor tem 56,1% de aproveitamento. Nas seis vezes em que entrou em campo sem seu artilheiro, o Fluminense venceu três, empatou uma e perdeu duas, conquistando 55,5% dos pontos.

A importância do jogador, entretanto, não é questionada por ninguém internamente, apesar da pouca diferença nesses números. Além dos 19 gols, o meia também deu quatro assistências, ou seja, participou diretamente de 23 dos 69 gols, um terço das bolas na rede do Tricolor em 2020.

Nenê marcou 19 gols em 2020 pelo Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Nenê marcou 19 gols em 2020 pelo Fluminense
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

A saúde privilegiada do camisa 77, chamado de Vovô pelos companheiros, sempre foi uma realidade na vida do jogador. Desde que deu seus primeiros passos como profissional, em 1999, Nenê sofreu quatro vezes a mesma lesão muscular, sempre de grau 1, o estiramento mais leve possível. O jogador não se machucava há três anos e meio.

A primeira contusão foi uma fissura no dedo do pé, em 2008, ainda pelo Monaco. Esta foi o problema físico mais sério de Nenê nos 21 anos da carreira por 14 clubes entre Brasil, Espanha, França, Inglaterra e Qatar.

No futebol espanhol, inclusive, alcançou expressiva marca: duas temporadas atuando os 38 jogos de La Liga, por Alavés e Celta de Vigo, entre 2005 e 2007. Com a camisa do Fluminense, desde 2019, são 65 jogos e 22 gols, mesmo tendo sido reserva em sua chegada.

Depois, o veterano sofreu mais uma lesão no time monegasco, antes de outras duas já com a camisa do Vasco, em julho de 2016 e em março de 2017. Todas com pronta recuperação e um retorno rápido ao time titular.

Coletivo precisará compensar ausência de artilheiro

A dependência de Nenê para o Fluminense balançar as redes têm diminuído nas últimas partidas, mas ainda assim, a diferença de gols entre o camisa 77 e os companheiros é muito grande. Segundo que mais marcou pelo Flu em 2020, Evanílson, que fez oito gols, deixou o clube rumo ao Porto.

A boa notícia fica por conta de Marcos Paulo, que, com seis gols, é o terceiro na lista de goleadores do Tricolor na temporada. O atacante, que substituiu o veterano contra o Santos, voltou a marcar após quase oito meses de jejum, e também teve boa atuação. Ainda sem definição se será novamente o substituto de Nenê, o jovem de 19 anos ganhou confiança, e pode ajudar o Flu.

Marcos Paulo voltou a marcar e pode ajudar o Fluminense sem Nenê, assim como Ganso - MARCELO GONCALVES/ESTADÃO CONTEÚDO - MARCELO GONCALVES/ESTADÃO CONTEÚDO
Marcos Paulo voltou a marcar e pode ajudar o Fluminense sem Nenê, assim como Ganso
Imagem: MARCELO GONCALVES/ESTADÃO CONTEÚDO

Além dele, o pouco utilizado, mas eficiente, Paulo Henrique Ganso pode aparecer na equipe de Odair Hellmann. Se fez apenas um gol na temporada, o camisa 10 também deu três assistências — a última para o próprio Marcos Paulo — e tem chances de ganhar oportunidade contra o Fortaleza, no próximo sábado (31). Além de Nenê, o Fluminense também não terá Fred e Dodi, suspensos.

E se os atacantes não chamam tanto a atenção nos números, a zaga vem se destacando. Luccas Claro já anotou cinco gols em 2020, e Nino fez outros dois — a dupla balançou as redes na vitória sobre o Peixe, que colocou o Flu no G-4 do Campeonato Brasileiro.

Fluminense