PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

'Não trabalhamos com a chance de rebaixamento', diz presidente do Cruzeiro

Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro - Igor Sales/Cruzeiro
Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro Imagem: Igor Sales/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/10/2020 16h40

Classificação e Jogos

Sérgio Santos Rodrigues, presidente do Cruzeiro, afirmou que a direção do clube não trabalha com a possibilidade de rebaixamento para a Série C, apesar de a equipe estar em penúltimo lugar na Série B após dezesseis rodadas.

O dirigente admitiu, no entanto, que o clube já se planeja para uma possível permanência na Série B, mas pontuou que ainda acredita no acesso, apesar da situação adversa, e que tem em um dos rivais locais, o América-MG, a inspiração para a arrancada que hoje parece improvável.

"A gente trabalha com dois cenários. Não acho que o nosso time é correspondente a rebaixamento. Até porque nossa campanha começou com menos seis pontos. Trabalhamos com dois cenários. Subir já está mais difícil, mas não é impossível", disse o presidente em entrevista ao Seleção SporTV, hoje.

"Nós usamos o América-MG do ano passado como exemplo. Eles estavam em uma situação parecida com a nossa no primeiro turno e tiveram uma arrancada que quase os levou à Série A. Estamos preparados, também, para continuar para a Série B, adequando o nosso faturamento para onde o clube estiver", acrescentou.

Chegada de Felipão

O mandatário cruzeirense explicou que a expectativa do clube com a chegada de Felipão vai além da melhora dos resultados. Sérgio Santos Rodrigues afirmou que o plano do clube é atrair investimentos, firmar possíveis parcerias no exterior e ter um nome de peso no comando do clube para o centenário - que é em 2021.

"Quando buscamos o Felipão, fizemos um planejamento muito maior. Queremos contar com ele, pelo menos, até o centenário. A ideia é ter ele na Série A. Senão no ano que vem, em 2022. Ele teve uma aprovação muito grande da torcida também", disse.

"Quando o Felipão traz seus auxiliares, a gente espera mais que um treinamento só. A gente espera que ele avalie a base, jogadores com potencial para subir. Também esperamos ajuda na parte extracampo, com captação de patrocinadores, contatos para possíveis amistosos no centenário. Ele já trabalhou no mundo todo e pode abrir essas portas para a gente", acrescentou.

Felipão estreia no comando do Cruzeiro hoje, contra o Operário, fora de casa, às 21h30. O treinador terá a difícil missão de conduzir o clube mineiro ao acesso em 22 jogos restantes partindo de uma diferença de catorze pontos para o quarto colocado - a Ponte Preta.

Cruzeiro