PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Galhardo teve passagem polêmica no Vasco e vive outra realidade no Inter

Thiago Galhardo teve passagem conturbada pelo Vasco e vive nova realidade no Inter - Rafael Ribeiro/Vasco
Thiago Galhardo teve passagem conturbada pelo Vasco e vive nova realidade no Inter Imagem: Rafael Ribeiro/Vasco

Bruno Braz e Marinho Saldanha

Do UOL, no Rio de Janeiro e em Porto Alegre

18/10/2020 04h00

Classificação e Jogos

Thiago Galhardo no Inter pouco lembra o que passou pelo Vasco. Enquanto no Colorado o artilheiro do Brasileiro é um dos líderes do grupo, posicionado e engajado em ações que vão além do campo, a passagem por São Januário teve saída turbulenta e polêmicas. O reencontro ocorrerá hoje (18), às 18h15 (de Brasília), no Beira-Rio.

Sua chegada, em janeiro de 2018, foi longe dos holofotes e cercada de desconfiança. Até então desconhecido, tinha acabado de rescindir com o Coritiba após ter passado por clubes como Bangu, Madureira, Botafogo, Ponte Preta e Albirex Niigata (JAP).

Aos poucos, no entanto, foi demonstrando qualidade e ganhando espaço. Na disputa da Copa Libertadores, já se mostrava uma peça importante, ao mesmo tempo que sinalizava sua personalidade forte.

"Argentino só faz m..."

Após o jogo de volta contra o Racing (ARG), terminado em 1 a 1, em São Januário (RJ), Thiago Galhardo foi questionado sobre os atos racistas dos torcedores argentinos na partida em Avellaneda (ARG), e o meia demonstrou não ter papas na língua.

"Tem que parabenizar a nossa torcida, que deu um show na arquibancada e, diferente deles lá, que fizeram aquele ato na arquibancada... A gente não pode aceitar uma injúria racial dessa. Então, parabéns para nós, Vasco da Gama, que estamos lutando dentro de campo, nossa torcida que tem lotado, diferente da deles... Argentino só faz m...", disparou.

Na ocasião, o técnico do Racing era exatamente seu treinador hoje no Inter, o argentino Eduardo Coudet. O treinador, inclusive, o observou nesta partida e a atuação contribuiu para chegada ao Inter.

"Palestrinha" e "amor e ódio" com torcida

A passagem de Thiago Galhardo pelo Vasco construiu uma relação de "amor e ódio" entre os torcedores. Há os que o adoravam e o defendiam com unhas e dentes, mas quase que na mesma proporção existiam os críticos, que chegaram até mesmo a colocar um apelido: "Palestrinha", por entender que ele falava bastante nas entrevistas.

Numa delas, inclusive, chegou a discutir com o repórter Fernando Saraiva, da TV Globo, durante um clássico com o Flamengo. Em muitos momentos em São Januário, porém, o jogador foi ovacionado por demonstrar um espírito aguerrido.

Amizade com Maxi Lopez e afastamento

Extrovertido e simpático, Thiago Galhardo logo ganhou espaço dentro do elenco, conquistando a confiança e a amizade daquele que era a estrela até então do grupo: Maxi Lopez. Foi em conluio com o atacante argentino que o meia passou a reivindicar sobre os direitos dos jogadores, que conviviam com salários atrasados.

No dia 5 de abril de 2019, foi um dos líderes de uma reunião do elenco com a diretoria cobrando os débitos e, no dia seguinte, já foi cortado da relação da semifinal contra o Bangu, pelo Campeonato Carioca. Após o jogo, vencido pelo Vasco, foi oficialmente afastado pelos dirigentes.

Desafeto do jogador, o então diretor-executivo do clube, Alexandre Faria, justificou seu afastamento alegando "coisas internamente que não nos agradaram".

"É uma opção do clube, uma relação normal entre patrão e empregado. Aconteceram algumas coisas internamente que não nos agradaram. Conversamos com o Thiago e com o representante dele. Vamos tratar internamente, como deve ser", disse na ocasião.

Em abril, provando as dívidas do Vasco com ele, conseguiu rescindir seu contrato via Justiça do Trabalho.

Polêmica com Valentim teve curtida no Instagram como um dos motivos

Thiago Galhardo nunca quis falar abertamente sobre, mas o desentendimento dele com o ex-treinador da equipe Alberto Valentim é algo notório em São Januário. Na época, o UOL Esporte apurou que a relação entre os dois já estava extremamente desgastada e teve como um dos estopins uma curtida, por parte do meia, em uma postagem de um famoso sócio vascaíno no Instagram que fazia críticas ao treinador.

Após deixar o Vasco, Galhardo foi questionado em diversas oportunidades por jornalistas para falar sobre o tema, mas nunca quis. Ele deixou o clube com 52 jogos e nove gols marcados.

No Inter, posicionado, líder e presente

Os momentos turbulentos no Vasco pouco lembram o que acontece hoje no Colorado. Mesmo na reserva, no início de sua trajetória em Porto Alegre, Galhardo jamais reclamou de qualquer coisa. Pessoas próximas ao jogador sempre relatam sua alegria por estar no clube, pela fase que vive no Beira-Rio. Dentro de campo, ele conquistou seu espaço pouco a pouco.

Hoje ele é visto como um dos principais líderes do elenco. A personalidade forte ainda o acompanha, mas é tratada como combustível para os diversos momentos enfrentados pela equipe. Galhardo está entre os jogadores preferidos da torcida e a fase em campo embala uma realidade bem diferente da deixada no Rio.