PUBLICIDADE
Topo

Santos

Cuca avalia Brasileiro difícil com jovens e aguarda presidente por reforços

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

14/08/2020 04h00

O técnico Cuca sabe que disputar o Campeonato Brasileiro somente com os Meninos da Vila que possui no elenco não será tarefa fácil. O treinador não reclama do fato, pois já tinha ciência quando topou assumir o Santos, mas aguarda o presidente José Carlos Peres para poder reforçar o elenco.

A ideia é conseguir uma verba nos próximos dias para pagar a dívida com o Hamburgo (ALE), em torno de 4,5 milhões de euros (cerca de R$ 28,5 milhões), e ser liberado pela Fifa para poder voltar a contratar. O Peixe soma quase R$ 100 milhões em dívidas.

"Para reforçar a equipe precisamos ter condição. E não temos, eu sei disso, não vou reclamar. Sabia quando vim. Podemos, de repente, conseguir uma verba, colocar as coisas em dia. Presidente está firme em cima disso. E aí pode reforçar. Difícil fazer Brasileirão com muitos meninos ao mesmo tempo. Com mais experientes, isso se faz com mais naturalidade. E se não for possível, vamos trabalhar com a base sem problema nenhum, sem passar responsabilidade para eles na derrota. Corrigir, trabalhar quando houver tempo e que evoluam no sistema", disse Cuca após a derrota de ontem (13) para o Internacional.

Cuca promoveu a estreia profissional do meia Ivonei, de 17 anos, no duelo contra o Colorado. O Peixe ainda terminou o jogo com Kaio Jorge, de 18, e Tailson, de 21, entre os titulares. No banco, outras cinco opções eram jovens das categorias de base: Alex, Sandry, Anderson Ceará, Arthur Gomes e Marcos Leonardo.

A principal preocupação no momento é a lateral esquerda. Com apenas Felipe Jonatan de origem para o setor, o Peixe vem sofrendo principalmente na fase defensiva. O lateral lidera a equipe em assistências no ano e é visto com ótima chegada ao ataque, mas ainda deficiente na marcação.

Santos