PUBLICIDADE
Topo

Fla x Flu marca rivalidade em campo e universo paralelo nas finanças

Gabigol, atacante do Flamengo, durante final da Taça Rio contra o Fluminense - divulgação/Flamengo
Gabigol, atacante do Flamengo, durante final da Taça Rio contra o Fluminense Imagem: divulgação/Flamengo

Caio Blois e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/07/2020 04h00

Classificação e Jogos

Rivais centenários nos gramados, Flamengo e Fluminense disputarão palmo a palmo o título do Carioca, hoje (12), às 16h, n Maracanã — a transmissão é exclusiva da FluTV, canal do YouTube do Fluminense. Em outra área, porém, o Rubro-Negro já venceu o rival: nas finanças. E de goleada. Desde que iniciou o processo de saneamento do clube, em 2013, o Fla pagou suas dívidas, equilibrou a balança e passou a ser modelo no país. Curiosamente, a reestruturação começou dias depois de o Flu levantar o tetra do Brasileiro.

Enquanto o Fla se adequou à realidade e montou equipes modestas, o Flu seguia com o amparo financeiro da Unimed, parceria que durou até dezembro de 2014. Daí para frente, o Tricolor teve dificuldades para manter os investimentos e viu o adversário decolar. O resultado dessas diferentes realidades ficou ainda mais claro após 2019, a mais vitoriosa temporada rubro-negra em anos. Com taças na mão, o Flamengo atingiu a receita operacional recorde de R$ 939 milhões. Os tricolores somaram R$ 265,1 milhões.

É, provavelmente, a maior diferença da história da rivalidade dos dois clubes.

A pujança econômica do Flamengo se reflete na agressividade no mercado da bola, realidade bem diferente do concorrente, que depende da venda de jovens valores formados na casa para sobreviver. O atacante Pedro, hoje no Flamengo, é um bom exemplo. Vendido para a Fiorentina pelo Tricolor, o jogador foi contratado por empréstimo pelo rival.

Essa diferença de valores é ainda mais notória nas contas que vencem ao final do mês. Apenas com a folha salarial, o clube da Gávea gasta cerca de R$ 24 milhões contra pouco mais de R$ 3 milhões gastos mensalmente com o time nas Laranjeiras.

Youtube entra na roda

Com a Medida Provisória 984, que dá aos mandantes o direito de negociar seus jogos, os canais dos clubes no Youtube entraram no centro da atenção nos últimos tempos.

Pioneiro na exibição de jogos em sua plataforma, o Fla arrecadou cerca de R$ 800 mil apenas com ingressos voluntários pagos pelos torcedores. O Flu não divulgou a sua conta final.

Embora o número ainda seja pouco relevante para os cofres dos clubes, os canais são uma nova fonte de receita para ambos. Em processo mais adiantado, a FlaTV já tem uma equipe própria fixa, câmeras e um estúdio no Ninho do Urubu.

O Fluminense ainda não consegue gerar tanto conteúdo como o Fla, mas a transmissão do último Fla x Flu quebrou recorde e foi muito festejada pelos dirigentes. A cobertura do clássico fez a FluTV conseguir 270 mil novos inscritos, sendo 144 mil durante a live. Agora, o canal oficial do Tricolor no YouTube já conta com quase 500 mil inscritos.

Mandante do jogo de hoje, a FluTV voltará a ter o direito de imagem. Na próxima quarta, a vez será dos rubro-negros mostrarem a finalíssima.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE x FLAMENGO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 12 de julho de 2020 (domingo), às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Michael Correia
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga

FLUMINENSE: Muriel; Gilberto, Digão, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson, Dodi e Yago; Nenê, Marcos Paulo e Evanilson. Técnico: Odair Hellmann

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Léo Pereira e Filipe Luis; Arão, Gerson, Arrascaeta e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabigol. Técnico: Jorge Jesus