PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Disney se diz "satisfeita com decisão" após confirmação de fusão Fox-ESPN

Hernán Estrada, cabeça da Disney no Brasil - Divulgação/Disney
Hernán Estrada, cabeça da Disney no Brasil Imagem: Divulgação/Disney

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

06/05/2020 21h55

O grupo Disney se mostrou satisfeito com a decisão do Cade desta terça-feira (6) de confirmar a fusão entre os canais ESPN e Fox Sports no Brasil.

Em nota enviada ao UOL Esporte, o principal executivo da empresa no país, Hernán Estrada, falou pela primeira vez sobre o caso.

"A The Walt Disney Company (Disney) está satisfeita com a decisão publicada pelo CADE nesta quarta-feira, Conselho Administrativo de Defesa Econômica, de aprovar a aquisição das redes de esportes a cabo adquiridas pela Disney no Brasil em sua fusão com a 21st Century Fox. De acordo com os termos desta resolução, a Disney espera oferecer um conteúdo ainda mais variado e qualificado de esporte e entretenimento para os consumidores no Brasil", disse o gerente-geral da Disney no Brasil.

A fusão

Em sessão realizada nesta quarta, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a fusão entre Disney e Fox no Brasil após revisão do negócio. O maior entrave era o Fox Sports, que a princípio deveria ser vendido, mas nenhum comprador que se apresentou cumpriu os requisitos da entidade reguladora. Assim, outra solução foi dada: o canal precisa ser mantido no ar pela multinacional até janeiro de 2022 ou até a conclusão de seus contratos de direito de transmissão.

Segundo a decisão a Disney precisa se comprometer a manter o Fox Sports no ar em pacotes básicos até 1º de janeiro de 2022 com obrigatoriedade da exibição da Libertadores no canal. No entanto, o Cade aprovou que outros direitos de transmissão sejam exibidos também em emissoras irmãs. Ou seja, a ESPN está liberada para exibir a competição continental caso queira.

A partir de 2 de janeiro de 2022, a Disney pode devolver a marca ao mercado para que ela fique disponível para outras empresas. Profissionais, sede do Fox Sports no Rio de Janeiro e direitos de transmissão ficam totalmente sob gerência da empresa americana.

Futebol