PUBLICIDADE
Topo

Satisfeito com Luxa, Palmeiras deve manter linha conservadora no mercado

Rony durante apresentação no Palmeiras - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Rony durante apresentação no Palmeiras Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

07/04/2020 04h00

O Palmeiras se firmou nas últimas temporadas como um dos principais agentes no mercado da bola. Com capital, o Alviverde era visto como o bicho-papão na hora que as janelas de transferência abriam. No entanto, na sequência de 2020, a história deve ser diferente e a expectativa é de concretizar um negócio apenas se for uma oportunidade de ocasião.

Apesar de ter uma situação financeira mais tranquila do que a maior parte dos adversários, o Palestra também estuda como vai agir em relação ao seu fluxo de caixa. Afinal, as receitas oriundas dos direitos de transmissão e das rendas das partidas não vão ser depositadas por causa da paralisação das competições em função da pandemia do coronavírus.

Além disso, o Palmeiras já vinha imprimindo um ritmo um pouco diferente no mercado da bola. A equipe não tinha atuado de maneira intensa na última janela de transferência. Ainda assim, venceu a concorrência com os arquirrivais e o principal reforço foi o atacante Rony, que era do Athletico-PR.

A comissão técnica e os integrantes do departamento de futebol acreditam que o Alviverde já tenha um elenco bem qualificado para disputar as competições. Tal avaliação também faz com que o clube tenha menos necessidade de buscar mais jogadores.

Ainda assim, ainda há quem sonhe dentro do clube com contratações de jogadores de renome, como Hulk ou Cavani, mas a possibilidade de alguma negociação deste porte se concretizar é pequena neste momento.

Palmeiras