PUBLICIDADE
Topo

Arnaldo Ribeiro: "Cena do Ronaldinho algemado choca, mas não surpreende"

Do UOL, em São Paulo

10/03/2020 11h00

Eleito o melhor jogador de futebol do mundo em 2004 e 2005, campeão mundial com a seleção brasileira na Copa de 2002, ídolo do Barcelona e campeão da Libertadores com o Atlético-MG na fase final da carreira. Ronaldinho Gaúcho, um dos grandes nomes da história do futebol brasileiro foi preso no Paraguai junto ao irmão depois de entrar no país usando passaporte paraguaio adulterado.

O terceiro bloco do podcast Posse de Bola #23 aborda o caso do ex-jogador, que depois de tantas conquistas na carreira, acumula problemas fora dos gramados, e agora comprometeu a própria imagem ao ser registrado preso e com os braços algemados no país vizinho.

"Você acha que o Ronaldinho Gaúcho entendeu alguma coisa? Ele não entendeu rigorosamente nada, o irmão bem possivelmente entendeu, mas o irmão é o irmão, o irmão é o que o levou a cometer crimes ambientais em Porto Alegre, enfim, o irmão Assis está para o Ronaldinho Gaúcho como o Neymar pai está para o Neymar filho, com a diferença que o Neymar aparentemente é menos tonto do que é o Ronaldinho Gaúcho e eu estou usando o adjetivo que o advogado dele utilizou para dizer", afirma Juca Kfouri (disponível no áudio a partir de 53:51).

Arnaldo Ribeiro concorda com a comparação do entorno de Ronaldinho com o de Neymar, as relações dos dois ídolos com as crianças e a pouca surpresa que causa a cena do ex-jogador preso.

"A inocência aos 40, a inocência aos 28, isso não é desculpa. E acho que a questão do ídolo nacional, do ídolo do futebol brasileiro é uma história que se repete, a gente tem outros exemplos mais para trás e acho que a cena choca, de algema, mas não surpreende. Porque é rolo, tem rolo para todo lado", afirma o jornalista (disponível em 55:33).

Eduardo Tironi lembra a condição de ídolo que Ronaldinho teve no Brasil e Mauro Cezar Pereira comenta a forma como alguns nomes do futebol acabam vivendo apenas rodeado por bajuladores e que se perdem quando precisam se virar 'fora da bolha'.

"Esses caras vivem numa bolha, eles acham que não precisam saber de nada, 'eu não preciso acompanhar política, eu não tenho que me preocupar com causas sociais, eu não tenho que me preocupar com economia, eu não tenho que me preocupar com nada, eu vivo no meu mundo, dane-se o resto, então eu vou vivendo, vou vivendo, só que um dia a bolha estoura porque acaba a carreira e aí você vai ter que de alguma maneira se relacionar mais com pessoas, entender o contexto, não vai mais ter todo aquele dinheiro entrando que era muito fácil administrar porque era uma fartura de grana muito grande, e acho que esse é o caso específico do Ronaldinho", afirma Mauro (disponível a partir de 57:38).

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol