PUBLICIDADE
Topo

Esporte


Liverpool domina United e vence dérbi com assistência de Alisson para Salah

Alisson comemora assistência para Salah e vitória do Liverpool sobre o Manchester United - REUTERS/Phil Noble
Alisson comemora assistência para Salah e vitória do Liverpool sobre o Manchester United Imagem: REUTERS/Phil Noble

Do UOL, em São Paulo

19/01/2020 15h21Atualizada em 19/01/2020 16h31

Classificação e Jogos

O Liverpool poderia ter goleado, mas não é que sua torcida vá reclamar de uma vitória por 2 a 0 sobre o rival Manchester United, um dos maiores clássicos da Europa. Invicto, arrasador, o time de Juergen Klopp conseguiu mais três pontos em sua já consolidada liderança do Campeonato Inglês, de forma invicta.

De curioso aqui temos a participação decisiva de Van Dijk e Alisson no... Ataque! Sim, tanto o zagueiro holandês como o goleiro brasileiro foram fundamentais para a definição no placar contribuindo de forma fundamental para além de suas obrigações defensivas. Van Dijk abriu a contagem com um gol de cabeça no primeiro terço da etapa inicial —foi seu quarto gol nesta Premier League, é verdade. Já Alisson deu uma assistência precisa para Salah definir a contagem no finalzinho.

E você leu isso corretamente: depois de um escanteio, o brasileiro agiu rapidamente na reposição e fez um lançamento perfeito para o egípcio acelerar e anotar o segundo no Anfield. "Para ser sincero, minha visão estava bem coberta. Só vi o Salah correr, pedindo a bola. A única coisa que tentei foi encobrir o De Gea, que estava adiantado, e consegui", afirmou o goleiro em entrevista à ESPN Brasil.

Depois, Alisson partiu numa arrancada impressionante para comemorar o gol com Salah. Correu tanto que foi o primeiro a alcançar o companheiro artilheiro. "Não gosto de me exaltar muito nas comemorações, mas vi que era o último minuto e decidi correr para abraçar o Salah", completou, rindo.

Sob controle

O placar do clássico foi aberto aos 13 minutos, em uma batida de escanteio. Alexander-Arnold cobrou pela direita e Van Dijk foi mais alto que todo mundo na entrada da pequena área para cabecear e marcar para o Liverpool.

Um segundo gol poderia ter saído aos 23 minutos, mas foi anulado. De Gea dividiu com Van Dijk, tirou de soco e ficou no chão. A bola sobrou para Firmino colocar nas redes. No VAR, o lance foi anulado, com falta em De Gea —e o goleiro levou cartão amarelo, tamanha foi sua reclamação com a arbitragem.

Outro gol anulado foi por impedimento, quando Henderson conseguiu enfiada de bola para Wijnaldum, que bateu com categoria na entrada da pequena área pela esquerda.

O Liverpool dominou as ações no primeiro tempo, teve mais chances e passou por seu maior risco em uma um passe do United para o meio da área em que Andreas Pereira tentou chegar de carrinho na bola, mas não conseguiu o gol.

No segundo tempo, o Liverpool seguiu com chances de ampliar, inclusive atingindo a trave em um chutaço de Henderson. Apesar do domínio, o placar magro ainda era um risco. E foi com esse 1 a 0 que o jogo seguiu até os 47 minutos do segundo tempo. Em um contra-ataque em momento de pura pressão do United, Salah conseguiu fazer o segundo, batendo na saída de De Gea.

Com o resultado, o Liverpool pula para 64 pontos, bem longe do segundo colocado, o Manchester City, que tem 48. A próxima partida é contra o Wolverhampton, na quinta-feira (23). O Manchester United tem 34 pontos e enfrenta o Burnley na quarta (22).

Esporte