PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dores no joelho levam Ederson, ex-Flamengo, a anunciar aposentadoria

O meia Ederson treina com o Flamengo na sede da Gávea - Gilvan de Souza/ Flamengo
O meia Ederson treina com o Flamengo na sede da Gávea Imagem: Gilvan de Souza/ Flamengo

Do UOL, em São Paulo

01/01/2020 17h39

Com o Flamengo no currículo e passagens por clubes como Lazio, Lyon e Nice, o meia Ederson anunciou sua despedida do futebol nesta quarta por causa de dores recorrentes no joelho. O agora ex-jogador está com 33 anos e decidiu parar porque não consegue mais render 100% no gramado, declarou em entrevista a TV Fronteira, afiliada da Globo no interior de São Paulo.

"Eu pude perceber que não ia conseguir render o meu máximo, então acho que quando é assim chegou a hora de parar".

Ederson se destacou desde os juniores e era convocado com frequência para as seleções de base. Ele foi camisa 10 e atuou nas seis partidas da seleção brasileira sub-17 campeã no Mundial da Finlândia em 2003.

Subiu para o futebol profissional no RS Futebol, seguiu para Internacional com apenas 16 anos, mas foi emprestado para o Juventude. De lá, foi contratado pelo Nice em 2005 e se destacou bastante no futebol francês. Tanto que foi o meia escolhido quando o Lyon precisou fazer a reposição de Juninho Pernambucano em 2008. O clube gastou 14,9 milhões de euros por Ederson, que correspondeu.

Ederson - Gilvan de Souza/ Flamengo - Gilvan de Souza/ Flamengo
Entrada de Fagner deixou Ederson 9 meses fora dos gramados
Imagem: Gilvan de Souza/ Flamengo

Fez duas temporadas muito boas, com atuações consistentes em partidas da Liga dos Campeões. Com o final do contrato, depois de quatro anos em Lyon, escolheu se transferir para a Lazio em 2012.

No futebol italiano, sofreu a primeira lesão no joelho durante choque com o brasileiro Hernanes. A falta de jogos dificultou a busca por espaço e em 2015 ele desembarcou no Rio de Janeiro para defender o Flamengo. O início foi promissor com boas partidas. Logo na segunda apresentação, em partida contra o Palmeiras, fez dois gols. Mas em setembro daquele ano, Ederson sofreu outra lesão no joelho e o restante do ano ficou comprometido.

De volta aos gramados completamente recuperado em 2016, ele vivia boa sequência e empolgava a torcida. A fase acabou em partida contra o Corinthians em julho. Uma tesoura do lateral Fagner, nova lesão e constatação de uma fratura e edema ósseo tiraram Ederson dos campos mais uma vez. Depois de 9 meses fora, o ex-meia voltou a atuar, mas sem o desempenho habitual.

No ano seguinte, ainda foi diagnosticado com câncer nos testículos. Agora, anunciou que deixou o futebol porque não consegue mais jogar tudo que pode por causa das dores. Ederson ainda vai planejar que atividade vai adotar. Não descarta continuar ligado ao futebol trabalhando com jovens talentos.

Futebol