PUBLICIDADE
Topo

Formato de possível ida de André ao Coritiba já deu R$ 35 milhões ao Grêmio

André pode trocar o Grêmio pelo Coritiba em negociação no mercado da bola - Gabriel Machado/AGIF
André pode trocar o Grêmio pelo Coritiba em negociação no mercado da bola Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

26/12/2019 12h19

Resumo da notícia

  • O Coritiba quer André e mais um jogado por empréstimo para liberar o jovem Kazu ao Grêmio em definitivo.
  • O modelo de negócio de se desfazer de atletas que não serão utilizados por promessa já deu certo no Tricolor.
  • O volante Walace chegou ao clube em troca do empréstimo de Marquinhos ao Avaí.
  • Depois, uma dívida do clube catarinense tornou a troca definitiva.
  • Com o marcador, o Grêmio lucrou mais de R$ 35 milhões.

Uma promessa por um - ou dois - jogadores sem espaço no grupo principal que vão emprestados com salários pagos parcialmente pelo Grêmio. Este é o modelo de negócio que pode levar André e outro colega ao Coritiba. E semelhante ao que já fez o Tricolor lucrar R$ 35 milhões.

Em 2013, o Grêmio cedia Marquinhos ao Avaí em troca de Walace. Um medalhão sem espaço no elenco por uma promessa da base. O Tricolor ainda auxiliava no pagamento do salário, alto para o time catarinense.

O que nenhum dos lados poderia imaginar foi o que aconteceu durante o período. O Avaí acabou ficando com uma dívida de R$ 500 mil com o Tricolor. E, sem condições de firmar o pagamento, cedeu os direitos do volante como compensação.

Quatro anos depois, o marcador foi vendido ao Hamburgo, da Alemanha, gerando retorno de R$ 33 milhões. A cota ainda ficou maior quando houve a segunda venda, para o Hannover, do mesmo país. Na ocasião, 10% dos direitos econômicos que permaneceram no clube gaúcho geraram R$ 2,6 milhões. E a ida para Udinese, nesta temporada, movimentou mais uma quantia em direitos de formação.

São pequenas as diferenças do que ocorre atualmente com Kazu, lateral esquerdo de 19 anos que está na base gremista desde 2018. Agora, o Coritiba quer André e Lima emprestados, com auxílio no pagamento de salários, para liberar o jogador em definitivo. A contrapartida gremista precisa ser equivalente à cláusula de compra do jogador: R$ 4 milhões.

Novamente, o Tricolor se prepara para ceder peças que não irá utilizar e diminuir sua folha de pagamento em troca de uma promessa. A exemplo do que houve com Walace, qualquer venda futura simbolizará valorização.

A equipe de Renato Gaúcho, ainda, tem por tradição o aproveitamento de jovens das categorias de base. Sobram exemplos de meninos que conquistam espaço no elenco pelo bom rendimento nos times inferiores.

Kazu é considerado uma promessa no flanco canhoto da defesa. E ainda que o setor esteja congestionado por Cortez, Juninho Capixaba e a iminente chegada de Caio Henrique, a expectativa é ter oportunidades em 2020.

O negócio ainda não está fechado. Restam definições de salário, qual percentual ficaria para cada clube, e a finalização do acordo entre as direções.

Grêmio