PUBLICIDADE
Topo

Futebol


United bate City e Liverpool abre 14 pontos sobre time de Guardiola

Rashford comemora gol contra o Manchester City - Lindsey Parnaby/AFP
Rashford comemora gol contra o Manchester City Imagem: Lindsey Parnaby/AFP

Do UOL, em São Paulo

07/12/2019 16h24

Em um jogo muito intenso, o Manchester United ganhou do rival City fora de casa por 2 a 1. A partida foi tão pegada que faltando 10 segundos para o apito final, o City teve chance de empatar.

O clássico de Manchester também foi marcado por um VAR atuante na marcação do pênalti que permitiu a Rashford abrir o placar para os visitantes. Martial fez outro e a equipe foi para o intervalo com vantagem de 2 a 0. O segundo tempo teve o City martelando, mas sem evitar a derrota. Bom para Alex Ferguson que estava nas arquibancadas para ver o resultado positivo do time que dirigiu por tanto tempo.

Com o placar, o City estacionou nos 32 pontos e agora está muito atrás do Liverpool, que tem 46 pontos. A equipe ocupa a terceira posição e viu se tornar difícil o sonho do terceiro título consecutivo. Em campanha mais modesta, o United alcançou 24 pontos e está em quinto, posição que não dá vaga na Liga dos Campeões.

Melhor do jogo: Rashford

O atacante do Manchester United foi o grande nome no começo do jogo. Aproveitando os espaços deixados pela defesa do adversário, o inglês finalizou várias vezes. Também foi dele a jogada que permitiu abrir o placar. O atleta invadiu a área e sofrer pênalti, marcado depois de intervenção do VAR.

Na cobrança, deslocou o goleiro, que nem saiu na foto. Nos minutos seguintes, o City sentiu o golpe e abriu espaços. Rashford mostrou qualidade quando recebeu uma bola na entrada da área e bateu de chapa buscando a gaveta. Acertou o travessão e recebeu aplausos.

Com o desempenho, Rashford alcançou a marca impressionante de oito gols nas últimas oito partidas do Manchester United.

Decisões distintas do VAR

A torcida do Manchester City lotou o estádio e saiu na bronca com o VAR. Os árbitros de vídeo assinalaram pênalti em Rashford e despertaram reclamação do público. No final do primeiro tempo, o volante Fred deu um carrinho na grande área para evitar um cruzamento e a bola bateu em seu braço. O lance foi revisado e o veredicto é de que não foi pênalti.

OLI SCARFF/AFP
Imagem: OLI SCARFF/AFP

Gabriel Jesus perde gol

Os times de Pep Guardiola se caracterizam por ter um atacante que pouco pega na bola, mas que recebe bolas em condição de finalizar. Num jogo grande, o jogador da posição não pode errar. Ainda mais porque o City perdia por 2 a 0 quando De Bruyne colocou a bola na cabeça de Gabriel Jesus. O brasileiro fez o movimento certo, mas finalizou para fora impedindo o City de voltar para o jogo ainda no primeiro tempo.

Torcida atira objetos em Fred

O volante brasileiro Fred se ajeitava para bater escanteio quando fez cara de contrariado e deixou o local. Os jogadores foram conferir o que estava acontecendo e perceberam que a torcida do Manchester City havia atirado uma garrafa de água e isqueiros no atleta. Foi preciso intervenção do time da casa para a partida recomeçar.

Cronologia do jogo

O jogo começou intenso com os dois times mostrando apetite. O Manchester United conseguiu abrir o placar e criou um momento que serviu para definir o jogo. Rashford fez o primeiro aos 23 minutos do primeiro tempo e o City sentiu o golpe, cedendo espaços. Com o rival atordoado, sobraram chances e Martial deixou o segundo seis minutos depois.

O City só conseguiu reequilibrar o jogo no final da etapa inicial. Na volta dos vestiários, o Manchester United foi mais cauteloso e tentou cozinhar a partida. O City criou várias chances, mas só conseguiu fazer o seu aos 40 minutos com Otamendi completando de cabeça um escanteio. Como o United não aproveitou os espaços de contra-ataque, o jogo pegou fogo.

Mas o Manchester City não teve forças e nem tempo, perdeu por 2 a 1 e viu o Liverpool abrir 14 pontos.

Futebol