Topo

Palmeiras define dois finalistas para cargo que era de Alexandre Mattos

Rodrigo Caetano, diretor executivo de futebol do Inter, em entrevista no Beira-Rio - Ricardo Duarte/Inter
Rodrigo Caetano, diretor executivo de futebol do Inter, em entrevista no Beira-Rio Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Danilo Lavieri e Marinho Saldanha

Do UOL, em São Paulo e em Porto Alegre

03/12/2019 21h08

Resumo da notícia

  • O Palmeiras definiu os dois "finalistas" para o cargo que era de Alexandre Mattos, demitido no último domingo
  • Rodrigo Caetano, hoje no Internacional, e Diego Cerri, no Bahia, são os que mais agradaram ao time paulista, segundo apuração do UOL Esporte
  • Os dois conversaram com representantes da equipe de Palestra Itália e terão "entrevistas finais" para que Maurício Galiotte escolha o próximo diretor

O Palmeiras definiu os dois "finalistas" para o cargo que era de Alexandre Mattos, demitido no último domingo após cinco anos à frente do Alviverde: Rodrigo Caetano, hoje no Internacional, e Diego Cerri, no Bahia, são os que mais agradaram ao time paulista, segundo apuração do UOL Esporte.

Os dois conversaram com representantes da equipe de Palestra Itália e terão "entrevistas finais" para que Maurício Galiotte escolha o próximo diretor de futebol.

Rodrigo Caetano está em São Paulo por conta do jogo do Internacional, marcado para amanhã, no Morumbi, e conversará com os palmeirenses na quinta. Cerri também terá um encontro nos próximos dias.

Além dos dois, o nome que mais agradou aos membros da cúpula do Palmeiras era o de Thiago Scuro. O CEO do Red Bull Bragantino, no entanto, descartou essa possibilidade. Paulo Pelaipe, hoje no Flamengo, e Paulo Autuori também tiveram os nomes estudados.

Inter será pego de surpresa em eventual saída

Uma eventual saída de Rodrigo Caetano pegaria o Inter totalmente desprevenido. Com o desligamento do vice de futebol Roberto Melo e do diretor Adauri Silveira, é Caetano quem toca, praticamente sozinho, os assuntos referentes ao futebol do clube e o planejamento da próxima temporada.

O Inter é obrigado por estatuto a ocupar o cargo de vice de futebol no ano que vem. No entanto, o plano, nos bastidores, é deixar as decisões cada vez mais sob cuidados de Caetano, no plano de profissionalização da pasta.

Caetano é quem participa do processo de busca por novos jogadores, avaliação de atletas que retornam de empréstimo e, principalmente, um dos pilares do Inter no plano de manter Paolo Guerrero, que é repetidamente assediado pelo Boca Juniors, da Argentina. Não tê-lo na direção significaria um abalo inesperado no projeto de retomada de conquistas.

Palmeiras