Topo

Esporte


Platini critica internacionalização do PSG: 'Poderia se chamar Coca-Cola'

Para ex-presidente da Uefa, futebol precisa de raízes: "Hoje em dia, elas não existem na França" - Fabrice Coffrini/AFP
Para ex-presidente da Uefa, futebol precisa de raízes: 'Hoje em dia, elas não existem na França' Imagem: Fabrice Coffrini/AFP

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 13h35

Michel Platini, ex-presidente da Uefa, fez duras críticas ao modelo de gestão do Paris Saint-Germain. Em entrevista à TV alemã RTL, o francês se mostrou incomodado com dirigentes de tantas nacionalidades diferentes à frente da equipe.

"O PSG poderia se chamar Coca-Cola: um presidente do Qatar (Nasser Al-Khelaifi), um diretor esportivo brasileiro (Leonardo) e seu pessoal cosmopolita", afirmou, fazendo críticas específicas ao ex-jogador. "Leonardo não fala bem francês, não se compreende bem a ele."

Para Platini, o PSG sofre com o mesmo problema que afeta outros clubes emergentes do futebol europeu: o distanciamento de suas raízes.

"Nunca critiquei o PSG, mas não é minha concepção de futebol. Poderiam ter visto o exemplo do Manchester City ou do Olympique de Marselha, onde o presidente é de um fundo de investimentos dos Estados Unidos, há um treinador português, o diretor esportivo é espanhol e não há jogadores franceses", criticou.

As referências no caso dizem respeito a Olympique. O clube pertence a Frank McCourt (CEO do McCourt Global), Andoni Zubizarreta é o diretor esportivo e André Villas-Boas é o treinador. No entanto, os jogadores franceses são maioria no elenco: são 19 atletas, contra nove atletas de outras nacionalidades.

Nada que evite as críticas de Platini aos clubes da elite francesa. "O futebol precisa de raízes. Hoje em dia, elas não existem na França", disparou.

Jamil Chade fala da repercussão da prisão de Platini

Band Sports

Esporte