PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Corinthians empata com o Del Valle e é eliminado na Copa Sul-Americana

Vágner Love e o Corinthians lamentam eliminação pela Copa Sul-Americana - Franklin Jacome/Getty Images
Vágner Love e o Corinthians lamentam eliminação pela Copa Sul-Americana Imagem: Franklin Jacome/Getty Images

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/09/2019 23h28

Resumo da notícia

  • Carille faz quatro alterações e usa time mais ofensivo em Quito
  • Contragolpe do time da casa funcionou no 2º tempo e definiu o 2 a 2
  • Zagueiro Manoel acabou falhando em momento decisivo da partida
  • Pesou, no final, para a eliminação o duro revés sofrido em Itaquera

O Corinthians empatou com o Independiente del Valle por 2 a 2, hoje, na altitude de 2.850 metros acima do nível do mar, no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito (Equador), e foi eliminado na semifinal da Copa Sul-Americana. Os equatorianos já haviam vencido o jogo de ida por 2 a 0, na Arena de Itaquera, semana passada.

O time de Fábio Carille entrou em campo com quatro alterações em relação ao que foi derrotado em casa. Ralf, Ramiro, Sornoza e Boselli entraram nos lugares de Gabriel, Junior Urso, Mateus Vital e Clayson. Apenas a saída de Gabriel, suspenso, não foi opção técnica ou tática. O Timão mudou também sua postura em campo: foi mais ofensivo, pressionou a saída do Independiente del Valle e contou com bons destaques individuais como Ralf, Pedrinho e Love.

No entanto, após dominar o primeiro tempo, o Corinthians não suportou o contra-ataque do Del Valle na segunda etapa, que empatou o jogo por duas vezes. Após o duelo em Quito, o Corinthians volta a campo no próximo domingo, quando encara o Vasco, às 11h (de Brasília), na Arena de Itaquera, pelo Brasileirão.

O melhor: Ralf deu conta do recado

Se alguém achava que Ralf, aos 35 anos, não daria conta de substituir Gabriel na altitude de Quito, ficou surpreso. O camisa 15 teve atuação impecável, desarmando muito e iniciando bem a transição ao ataque. Aliás, Ralf foi o responsável por roubar a bola na jogada que terminou com o gol de Boselli. Ele repetiu o feito em outros lances perigosos, como aquele que terminou em chute de Love no travessão, no primeiro tempo.

O pior: Manoel não foi tão mal, mas errou

O zagueiro Manoel errou na hora errada. Quando o Corinthians vencia, ele errou o tempo de um "carrinho" e viu o Sánchez empatar pelo Del Valle pela primeira vez em Quito. No segundo gol dos equatorianos, ele só viu a bola cruzar a área e chegar até Cabeza, que "matou" o jogo.

1º gol do Corinthians valoriza coletivo

O primeiro gol do Corinthians, marcado por Boselli aos 28 minutos do primeiro tempo, valorizou o coletivo do time de Carille. Ralf desarmou, tocou para Pedrinho, que lançou Love. O camisa 9 invadiu a área e cruzou rasteiro para o argentino tocar para o gol na pequena área.

2º gol não deu tempo pra comemorar

O VAR foi acionado aos 36 minutos do segundo tempo para analisar pênalti em Avelar, que cortou o defensor e foi derrubado na área. Após rever o lance, o juiz marcou a penalidade. Na cobrança, Clayson marcou o segundo gol aos 41 minuitos e colocou o Timão na frente. No entanto, o Corinthians nem teve tempo para comemorar pois o Del Valle empatou logo em seguida, com Cabeza, aos 44 minutos.

Gol do Del Valle expôs substituição

O Independiente del Valle empatou pela primeira vez em contra-ataque logo após Carille sacar Ramiro para a entrada de Clayson. O ex-gremista ajudava Pedrinho e Fagner fechar o lado direito da defesa corintiana. Sem ele, Sánchez teve liberdade para ganhar de Manoel, que errou o tempo do "carrinho" e tocar na saída de Cássio aos 22 minutos do segundo tempo.

Novidades na escalação e esquema mais ofensivo com variações

O Corinthians entrou em campo com duas novidades: Ramiro e Boselli. Além deles, Ralf e Sornoza, que atuaram como titulares contra o Fluminense, também apareceram na escalação inicial. Essas foram as quatro novidades em relação ao time que perdeu o jogo de ida. O técnico Fábio Carille escalou a equipe no esquema 4-2-3-1, com Ralf e Ramiro de volantes, Pedrinho do lado direito, Love centralizado, Sornoza na esquerda e Boselli no comando do ataque. Existiam duas variações. A defensiva no esquema 4-1-4-1, com Love fechando do lado esquerdo para marcar, com Ramiro e Sornoza por dentro. A variação mais ofensiva contava com três meias - Pedrinho, Ramiro e Sornoza, com Love e Boselli no ataque. Mas essa foi utilizada em extremos, quando o time mais foi ousado em campo.

Cássio ajudou enquanto deu

Em uma das poucas jogadas de perigo do Del Valle no primeiro tempo, o goleiro Cássio salvou o Corinthians. No primeiro tempo, Sánchez ganhou de cabeça de Fagner na entrada da pequena área para boa defesa do camisa 12. No rebote, Gil chutou para escanteio. No entanto, o ídolo corintiano não conseguiu defender o chute rasteiro de Sánchez e nem o de Cabeza em rápidos contra-ataques no segundo tempo.

Trave e goleiro do Del Valle no susto

Além do gol de Boselli, Corinthians acertou a trave e viu o goleiro Pinos defender uma bola no susto no primeiro tempo. Aos 25 minutos, quando o jogo estava empatado sem gols, Sornoza cobrou falta e Avelar desviou de cabeça para defesa do goleiro, no susto. No rebote, Gil cabeceou para nova defesa do goleiro. Após o gol, Vagner Love fez boa jogada individual e chutou da entrada da área, acertando o travessão de Pinos.

FICHA TÉCNICA
INDEPENDIENTE DEL VALLE 2 x 2 CORINTHIANS

Data: 25 de setembro de 2019, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Estádio Olímpico, em Quito (EQU)
Árbitro: Piero Maza (CHI)
Auxiliares: Alejandro Molina (CHI) e Claudio Urrutia (CHI)
VAR: Diego Haro (PER)

Gols: Boselli aos 28 minutos do primeiro tempo e Clayson aos 41 do segundo (Corinthians); Sánches aos 22 minutos e Cabeza aos 44 do segundo tempo (Del Valle)

Cartões amarelos: Sornoza e Clayson (Corinthians); Mera e Franco (Del Valle)

INDEPENDIENTE DEL VALLE: Pinos; Landázuri, Schunke, Segovia e Preciado (León); Pellerano, Franco, Mera (Nieto) e Dájome; Sánchez (Cabeza) e Gabriel Torres
Técnico: Miguel Ángel Ramírez

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Ralf (Urso), Ramiro (Clayson), Sornoza, Pedrinho; Vagner Love e Boselli (Gustagol).
Técnico: Fábio Carille

Futebol