Topo

Brasileirão - 2019


Dupla troca camisas, mas flamenguistas não perdoam 'alerta' de Thiago Neves

Thiago Neves, do Cruzeiro, carrega bola ao lado de Arrascaeta, do Flamengo, após marcar gol - Fernando Moreno/AGIF
Thiago Neves, do Cruzeiro, carrega bola ao lado de Arrascaeta, do Flamengo, após marcar gol Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Do UOL, em São Paulo

21/09/2019 20h28

Dois dos principais personagens do jogo de hoje (21) entre Flamengo e Cruzeiro, Arrascaeta e Thiago Neves também protagonizavam, há seis meses, uma polêmica relacionada à transferência do uruguaio para a equipe rubro-negra. Os meias até trocaram camisas no gramado do Mineirão após a partida deste sábado, mas não foi suficiente para os torcedores flamenguistas perdoarem o camisa 10 da Raposa por uma espécie de alerta feito em março sobre seu ex-colega de time.

Pouco mais de três meses após Arrascaeta chegar ao Flamengo, Thiago Neves projetou dificuldade para o uruguaio se adaptar ao novo clube. "No Flamengo, ele tem que se soltar mais. Essa timidez dele para jogar no Flamengo não vai dar certo. No Flamengo, o cara tem que dar carrinho, tem que vibrar, tem que jogar bem, mostrar para torcida que ele quer ser o cara. Ele foi contratado para isso. Mas essa timidez, se continuar, vai atrapalhar ele", disse o meia cruzeirense, na época, em entrevista à Fox Sports.

Os flamenguistas nas redes sociais não esperaram nem mesmo o apito final neste sábado para resgatar a tal fala de Thiago Neves. Bastou Arrascaeta cumprir a "lei do ex" e marcar o gol que recolocava os rubro-negros à frente do placar contra o Cruzeiro, e as redes sociais foram tomadas por brincadeiras e provocações relacionadas à "previsão furada". O meia uruguaio tem 13 gols em 36 jogos pelo Flamengo; nove deles foram anotados no Brasileirão, campeonato do qual ele é o terceiro principal artilheiro (atrás de Gabigol e Gilberto).

Em tempo: duas semanas após o comentário de Thiago Neves, Arrascaeta foi questionado sobre o assunto e respondeu sem estender a polêmica: "Eu acho que todo jogador que chega a algum lugar tem um período de adaptação. Sem dúvida, com as pessoas que eu não conheço, sou um pouco mais quieto, mais tranquilo. Mas já tem alguns jogadores em quem tenho confiança, como Bruno Henrique e Gabigol e os gringos que tem aqui também. Mas acho que, dentro do campo, depois, se tiver que falar alguma coisa com algum companheiro, eu vou falar. Então, dentro do campo, a timidez vai ficar de fora. Agora, é, jogo a jogo, dar meu melhor", comentou, na ocasião, também ao Fox Sports.