Topo

Por que Palmeiras se manifestou sobre Amazônia, tema que incomoda Bolsonaro

Leila Pereira, Jair Bolsonaro e Maurício Galiotte no Allianz Parque durante o jogo Palmeiras x Vasco -  REUTERS/Amanda Perobelli
Leila Pereira, Jair Bolsonaro e Maurício Galiotte no Allianz Parque durante o jogo Palmeiras x Vasco Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

23/08/2019 14h58

Em meio à crise vivida pelo governo Bolsonaro por críticas à política ambiental e pressão por conta de desmatamento e queimadas na Amazônia, o Palmeiras se manifestou sobre o assunto na tarde de hoje por meio de seu Twitter oficial. O clube publicou um post com os dizeres "Não deixem que o verde se torne cinza" e a hashtag #PorUmFuturoMaisVerde. O ato faz parte de um programa que o clube desenvolve desde 2017.

"Nós, que amamos o verde, estamos consternados com as notícias sobre as queimadas na Floresta Amazônica. Clamamos àqueles com poder para interceder na situação que cumpram com o seu papel, ajudando a proteger e preservar esse patrimônio brasileiro e da humanidade", diz o post palmeirense.

"Por um futuro mais verde" é o nome de um programa que o Palmeiras anunciou há dois anos, visando promover a sustentabilidade não só ambiental, mas também social e econômica. De acordo com o clube, o projeto visa "estimular em seu público (funcionários, sócios, torcedores etc.) um comportamento responsável em relação a suas escolhas cotidianas de consumo, descarte, hábitos de vida, entre outros".

Em 2017, aconteceu o primeiro ato do programa. Em parceria com a ONG SOS Mata Atlântica, o Palmeiras promoveu ações educativas de conscientização sobre a situação da floresta com jovens na sede social do clube, envolvendo o plantio simbólico de uma muda de jabuticabeira. O clube afirma que outras ações para promover a responsabilidade ambiental, social e econômica estão em processo de finalização.

Clube nega viés político

O Palmeiras descartou ainda qualquer viés político na postagem sobre a Amazônia, que despertou discussões entre torcedores nos comentários. O entendimento do clube é que não houve crítica direcionada ao governo e que a questão da Amazônia é uma causa maior. Após checagem com órgãos técnicos, o alviverde entendeu que havia um problema que demandava uma manifestação de caráter cidadão.

A relação entre o presidente Jair Bolsonaro e o Palmeiras tem sido próxima desde a eleição dele em outubro do ano passado, mas a postura do clube é que se trata de um contato apenas institucional. O estatuto alviverde proíbe vínculo ou viés político-partidário, e um possível descontentamento de Bolsonaro com a postagem nem chegou a ser colocado na balança.

Torcedor do time, Bolsonaro foi convidado pelo Palmeiras para assistir ao jogo da entrega da taça do Campeonato Brasileiro de 2018, na última rodada, contra o Vitória. Após a partida, a convite da CBF, ele entrou no gramado, entregou o troféu, saiu nas fotos do título com os jogadores e deu até volta olímpica com a taça. O clube não cogitou se opor.

Bolsonaro voltou a ir a uma partida do Palmeiras em julho, contra o Vasco, também pelo Brasileirão. O clube alviverde afirma que o presidente foi quem pediu para comparecer ao jogo, e o Palmeiras apenas aceitou. O político também já foi a outras partidas de futebol, como por exemplo o duelo entre Flamengo e CSA em Brasília, em junho, quando vestiu a camisa do time rubro-negro.

Palmeiras