Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Carille prova do próprio veneno e vê risco maior com Oswaldo no Fluminense

O técnico Fábio Carille já viu o Fluminense com o estilo de jogo de Oswaldo de Oliveira - Marcello Zambrana/AGIF
O técnico Fábio Carille já viu o Fluminense com o estilo de jogo de Oswaldo de Oliveira Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Gabriel Carneiro e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo

23/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • No empate em 0 a 0 com o Corinthians em Itaquera, Fluminense trocou estilo de jogo e foi mais defensivo
  • Internautas apontaram que Fábio Carille, técnico do Corinthians, não conseguiu responder ao que propunha o novo Flu
  • Técnico explicou, também, que escolheu Love, e não Boselli, para o time titular porque as características do brasileiro se adequavam melhor ao rival
  • Corinthians vai poupar alguns titulares contra o Avaí, no domingo, mas Carille não avisou quem não vai jogar

O técnico Fábio Carille provou do "próprio veneno" no empate sem gols entre Corinthians e Fluminense, ontem, em Itaquera, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Com a saída de Fernando Diniz, o técnico corintiano enfrentou o Flu com um esquema de jogo bem semelhante ao seu: cadenciado e, principalmente, mais defensivo.

A estratégia "retrancada" partiu do trabalho do interino Marcão e da influência do técnico Oswaldo Oliveira, contratado para o lugar de Diniz. O novo comandante ainda não estreou, mas marcou presença no último treinamento e esteve até no vestiário na Arena Corinthians para implantar o sistema de jogo bem menos ousado em comparação ao seu antecessor. Carille não tem dúvidas. Para ele, o Fluminense já atuou com o estilo mais "tradicional" de Oswaldo.

Já mudou hoje. Oswaldo esteve aí, participou do treino, esteve no vestiário, falei com ele. O Oswaldo é mais tradicional, é mais da minha linha de ver futebol. Hoje já houve mudança do começo do ano. Antes, jogando em casa e fora, eles tentavam dominar, hoje já foi diferente

Fábio Carille, técnico do Corinthians, sobre Oswaldo

Carille tenta explicar Jadson e Love

O técnico Fábio Carille explicou os motivos que o fez escolher Vagner Love e não Mauro Boselli, destaque nos últimos jogos, para iniciar o jogo no comando do ataque. O argentino caiu nas graças da torcida e tem o apoio das arquibancadas e das redes sociais. Além disso, Carille teve que explicar porque colocou Jadson no segundo tempo. Antes do jogo, o camisa 10 era a terceira opção para comandar a armação de jogadas do time. Mateus Vital foi o escolhido após ganhar disputa com Sornoza.

A substituição foi para ter mais um armador (Jadson). Usar o nove depende da característica. Nos preparamos para o que tínhamos do Fluminense, para isso as características do Love seriam melhores do que a do Boselli. Pensei em colocar Boselli com o Love, mas tem que ter cautela. O Boselli foi uma substituição natural pensando nas jogadas de lado

Fábio Carille, sobre Jadson e Love

Você acha que o Corinthians teria vencido ontem se o Flu fosse comandado por Fernando Diniz?

Resultado parcial

Total de 1 votos
 Daniel Vorley/AGIF
100,00%
Ale Cabral/AGIF
Total de 1 votos

Corinthians pode ter "mistão" contra o Avaí

Após o empate contra o Fluminense, Carille já avisou que poupará alguns jogadores para o duelo contra o Avaí no próximo domingo, às 19h (de Brasília), na Ressacada, em Florianópolis, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. A ideia é poupar alguns titulares visando o jogo de volta contra o Flu pela Sul-Americana, na próxima quinta-feira, no Maracanã. Everaldo tem presença garantida no ataque pois não pode atuar na competição continental por ter defendido o próprio time carioca.

"Provavelmente algumas mudanças. Começamos a pensar no Avaí a partir de agora, amanhã (sexta-feira) defino os onze que vão iniciar e devemos ter mudanças", disse Carille.