Topo

Quem pode ganhar mais chances ou perder espaço no Cruzeiro de Rogério Ceni

Técnico iniciou nova era no Cruzeiro e prometeu tentar deixar o time mais rápido e agressivo em campo - Bruno Haddad/Cruzeiro
Técnico iniciou nova era no Cruzeiro e prometeu tentar deixar o time mais rápido e agressivo em campo Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

14/08/2019 12h00

O estilo de jogo praticado por Rogério Ceni vai dar uma nova cara ao Cruzeiro. Se comparado com as ideias de Mano Menezes, que priorizava a solidez defensiva, o novo comandante do Cruzeiro já avisou que tentará deixar o time mais "rápido e agressivo". Pelo menos para as próximas partidas, a espinha dorsal deverá ser mantida. Mas a mudança na filosofia poderá fazer com que uns ganhem mais chances, enquanto outros percam mais espaço.

Tanto no São Paulo quanto no Fortaleza, Rogério valorizou jogadores rápidos. No atual Cruzeiro, isso pode ser bom para atletas como Pedro Rocha, David ou até Marquinhos Gabriel. Por outro lado, o perfil de jogadores como Fred pode virar um obstáculo. Com o antecessor Mano Menezes, o centroavante acabou perdendo a titularidade para Pedro Rocha, que deu mais mobilidade ao ataque, enquanto Fred, hoje aos 35 anos, atua mais preso dentro da área.

"Eu acho ele um 9, um jogador de área, apesar de fazer bem a proteção. Tem boa finalização. Vamos trabalhá-lo como um garoto de 20 anos, tentar tirar o melhor dele. Qualidade, nós sabemos que ele tem. Eu preciso da entrega cada vez mais física do jogo. Vou dar, principalmente nesse começo de trabalho, a prioridade para quem tenha mais condições físicas. O Fred é um 9 clássico, de área, e espero que ele possa nos ajudar bastante", comentou Rogério, em sua entrevista de apresentação.

Desde os primeiros minutos do primeiro treinamento de Ceni, o treinador deixou claro que vai exigir mais aproximação, movimentação e posse de bola dos seus atletas. Na prática, ele tentará dar ao time a mesma obediência tática que exigia dos seus atletas no Fortaleza. O que pode atrapalhar seus planos é a alta idade de jogadores importantes - Thiago Neves e Henrique têm 34, Léo, Dedé, Cabral, Rodriguinho e Robinho têm 31, e Egídio está com 33.

Vale lembrar que os passes errados e a ineficiência para sair jogando ou criar as jogadas passaram a ser uma marca negativa do Cruzeiro, bastante presente nos últimos jogos, principalmente após a Copa América. Mesmo ciente que essa mudança pode demandar tempo, Rogério espera contar com a contribuição dos seus novos jogadores.

"Quando você repete muito o treino, vai automatizando e faz seu time jogar de maneira clara. Mas temos que tentar mudar aos poucos. A maneira como eu jogo, de jeito de jogar, vamos tentar implementar o máximo possível. Se os jogadores quiserem comprar a ideia, capacidade eles têm. O importante é fazer com que o time se adapte e a gente encontre a melhor circunstância para colocar esse time em campo. A ideia é de fazer um time mais rápido, é o modo que vejo futebol", acrescentou Ceni.

Chance para os garotos?

Por fim, Ceni também poderá ter um olhar mais carinhoso com os jogadores da base. Primeiro, porque o Cruzeiro andou perdendo peças importantes recentemente e não fez reposições, como foi o caso de Rafinha, Murilo, Lucas Silva, Lucas Romero e Raniel. Nos tempos do São Paulo, Rogério já viveu um cenário parecido e precisou recorrer aos garotos. Agora, jovens como Maurício, Éderson e Weverton também ficam à disposição, além do atacante Welinton, que conversou com o técnico na tarde de ontem e recebeu a notícia que passará a treinar com o grupo principal.

Não acho um desafio tão grande para o Ceni, diz Julio Gomes

Band Sports

Cruzeiro