Topo

Futebol


Sem espaço no Corinthians, Lucca chega ao Bahia após boa passagem no Qatar

Lucca conversa com Carille durante passagem anterior pelo Corinthians - Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Lucca conversa com Carille durante passagem anterior pelo Corinthians Imagem: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Lucas Sarti

Do UOL, em São Paulo

14/07/2019 04h00

Com contrato com o Corinthians até julho de 2020, o meia-atacante Lucca Borges está de volta ao Brasil, e de time novo. Após passagem artilheira pelo Al-Rayyan, do Qatar, o jogador defenderá a equipe do Bahia. Aos 29 anos, Lucca teve um privilégio que poucos jogadores já tiveram: jogou contra Xavi Hernández e Wesley Sneijder e balançou as redes mais vezes que os craques do futebol internacional.

Destaque do Al-Rayyan e camisa 9, Lucca teve boas atuações na última temporada defendendo o clube do Qatar. O atacante anotou sete gols no campeonato nacional, superando nomes de peso como Xavi (2), De Jong (4), Sneijder (6) e Samuel Eto'o (6). Para alcançar os seis gols, Eto'o precisou disputar 18 partidas, enquanto Lucca participou de três jogos a menos. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o atacante comemorou o desempenho em sua primeira passagem fora do Brasil.

"Fiz um total de 14 gols, contando os outros campeonatos, então, pra mim, individualmente, foi uma temporada sensacional. Pude aprender outra língua, outra cultura. Em questão de posição, ali na frente, joguei praticamente em todas as posições. Não tenho escolhido muito, não. Joguei como meia, carregando mais a bola, mas toda hora tava na área. Joguei como 9 também, às vezes pelas pontas", disse Lucca, que teve o contrato de empréstimo encerrado no último dia 30.

Papai te ama ?? ??

Uma publicação compartilhada por @ luccaborgess em

Adaptação ao calor e convívio com craques

Após passar menos de um ano no Qatar, país que receberá a próxima Copa do Mundo, em 2022, Lucca afirmou que o processo de adaptação ao país não foi tão difícil. O jogador se mudou para o Qatar com sua esposa, grávida, e sua filha de três anos. No Al-Rayyan, o atacante ainda encontrou um brasileiro naturalizado catari que conhece o país como poucos.

"A adaptação foi tranquila, meu clube tinha vários brasileiros na comissão. O [Rodrigo] Tabata também estava lá. O idioma foi o mais difícil, mas eles estavam lá pra me ajudar. Foi minha primeira experiência fora do Brasil. O clima é bem difícil, é muito quente, quente o tempo inteiro, teve só um período que deu uma esfriadinha, mas a adaptação ao calor é um pouco difícil também", contou Lucca.

Em sua primeira experiência fora do país, o atacante teve oportunidade de conviver com craques do futebol internacional: foi vizinho de Sneijder, conversou em português com Eto'o e ainda goleou o time de Xavi por 8 a 0, marcando três gols.

"Xavi é um cara experiente, muito legal. O time dele joga muito bem, ganhou tudo lá esse ano. Conversei com o Eto'o também, conversamos em português, ele fala muito bem o idioma. De vez em quando a gente se encontrava lá (no Qatar). São todos caras bem tranquilos. O Sneijder morava no mesmo condomínio que eu, é um cara sensacional. Eles ganharam tudo, senão tudo, praticamente tudo na vida. São simples, tranquilos, caras que não têm muita frescura. E em campo você vê que são diferenciados", disse.

O atacante afirma que, por conta da tecnologia de ar-condicionado nos estádios -- que estará presente na Copa do Mundo --, um dia com temperatura acima dos 40º C fora do estádio se torna uma partida a cerca de 17º C dentro de campo. Apesar dos bons números (foram 14 gols em 27 jogos), Lucca não foi chamado pela nova diretoria após a troca de sheiks no comando da equipe.

Títulos pelo Corinthians e relação com Carille

Com passagens por Criciúma, Chapecoense, Cruzeiro e Ponte Preta, foi no Corinthians onde Lucca viveu alguns de seus melhores momentos no cenário nacional. Após início meteórico em 2015, quando chegou ao Alvinegro na reta final do Campeonato Brasileiro, e, com atuações importantes, ajudou o clube paulista a conquistar o título, Lucca foi perdendo espaço no elenco até que, com a saída do técnico Tite em 2016, passou a ficar no banco de reservas com outros treinadores.

Com Fábio Carille, o atacante chegou a nem participar de treinamentos, mas revelou não sentir nenhum tipo de mágoa pelo comandante corintiano, e aproveitou para revelar que já conversaram pessoalmente.

"Nunca falei nada sobre ele, e ele nunca falou nada sobre mim. Nunca tivemos problema nenhum, nenhum. É questão de opção mesmo, normal no futebol. Ele optou por outros jogadores. Normal, acontece, nunca cobrei ele, nem na imprensa nem na presença dele. Já falei pra ele pessoalmente isso, na vida a gente acaba tendo que escolher. Se é certo, se é errado, só vamos saber depois. Se um dia ele falar: 'Lucca, vamos trabalhar juntos de novo'. Por que não? Não tenho problema nenhum. É um cara super inteligente, trabalhador, está evoluindo sempre, muito legal", afirmou.

Eeeeeeee campeaoooooooooooo

Uma publicação compartilhada por @ luccaborgess em

Campeão brasileiro em 2013 pelo Cruzeiro, Lucca conquistou seu segundo título nacional sob o comando do técnico Tite, no Corinthians de 2015, que tinha nomes como Renato Augusto, Jadson, Gil, Felipe, Malcom, Fagner e Cássio. Contratado em setembro de 2015, por empréstimo, Lucca rapidamente se encaixou no time e virou xodó da torcida corintiana ao ajudar com gols decisivos, como o segundo gol na vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba, na 34ª rodada da competição.

"Acabei fazendo gols importantes, mas não falo muito que fui aquele cara especial, não. É difícil você se colocar nesse patamar. Tinha grandes jogadores que estavam em momentos especiais. Não tinha vaidade nenhuma, ninguém queria ser melhor que ninguém. A amizade que foi criada é muito bonita", contou Lucca, que garantiu ainda participar de grupos de conversas nas redes sociais com o elenco de 2015.

Em 2016, o atacante começou a temporada como titular, mas os tropeços do Corinthians durante o ano (eliminação para o Audax no Campeonato Paulista e Nacional-URU na Libertadores) forçaram mudanças na equipe. Sem espaço, Lucca tinha a intenção de somar mais minutos em outra equipe, e foi emprestado à Ponte Preta, onde chegou a brigar pela artilharia do Brasileirão de 2017.

"Achei que tinha que sair. A decisão foi minha mesmo, achei que teria que sair pra jogar em outro lugar. Acho que foi a decisão certa. Por mais que a gente [Ponte Preta] não tenha ido tão bem no Brasileirão, fiz 24 gols na temporada", lembrou.

Em 2018, com Carille no comando da equipe, Lucca retornou e, mesmo atuando pouco, teve participação importante na conquista do título do Campeonato Paulista de 2018. Jogando no estádio do Palmeiras, o atacante foi escolhido para participar da disputa de pênaltis que definiu o campeão estadual daquele ano. Terceiro cobrador do Corinthians, Lucca converteu sua cobrança, e extravasou ainda em campo. O jogador lembra com carinho de um de seus últimos momentos com a camisa corintiana.

"Naquele momento, qualquer um, não é porque é o Lucca, que saiu aquele vídeo que eu era corintiano quando criança, qualquer um naquele momento ia ter aquela reação. A minha foi de comemorar, um momento difícil, pressão muito grande. Foi tudo natural, nada programado. Foi um grito num momento marcante, estávamos com a chance de ganhar do maior rival, na casa deles, conquistar um título, foi mais por isso", disse o atacante, que se lembrou de um vídeo gravado em 2007, quando colegas brincam com Lucca, então um jovem torcedor do Corinthians, por conta do rebaixamento do clube à Série B.

É campeãooooo

Uma publicação compartilhada por @ luccaborgess em

Mais Futebol