Topo

Botafogo luta contra penhora e fecha acordo para pagar parte de salários

Nelson Mufarrej, presidente do Botafogo, tem feito muitas reuniões com diretoria para resolver crise - Thiago Ribeiro/AGIF
Nelson Mufarrej, presidente do Botafogo, tem feito muitas reuniões com diretoria para resolver crise Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

13/07/2019 04h00

A falta de opções deixa a crise do Botafogo ainda mais presente na cabeça dos torcedores. A diretoria diz que busca soluções para resolver os problemas. E parece ter encontrado uma. Além de travar uma briga na Justiça para liberar verba penhorada, o clube ainda conseguiu fechar uma parceria com a Ambev, como revelou o Extra, para pagar pelo menos uma folha salarial.

Uma quantia que está penhorada é da parceria entre Botafogo e a "Casa de Apostas". O dinheiro ficou retido junto à Justiça e o clube tenta liberar esse valor para utilizar no pagamento de parte da dívida. Há uma expectativa que isso ocorra na semana que vem.

Além disso, o Botafogo fechou com a Ambev que agora tem um acordo que envolve os bares do estádio Nilton Santos. Os valores não foram divulgados, mas de acordo com apuração do UOL Esporte, seria o suficiente para pagar ao menos um mês de salário atrasado. A folha gira na casa dos R$ 3 milhões.

A notícia é boa em vários sentidos. Primeiro porque os jogadores terão ao menos parte da dívida quitada. O melhor espectro, no entanto, é o de ver uma luz no fim do túnel. A falta de expectativas era algo que incomodava bastante os atletas, que já não conseguiam mais esconder a insatisfação.

Até mesmo torcedores influentes que sempre estendiam as mãos ao Botafogo nos momentos difíceis, desta vez deram um passo atrás. Segundo apuração do UOL Esporte, o grupo considera que já investiu muito dinheiro no clube e que não há mais verba disponível para novos empréstimos.

Botafogo