Topo

Seleção Brasileira


CBF colocará Juninho Paulista na vaga de Edu Gaspar. Tite aprova ideia

Edu Gaspar e Juninho Paulista durante evento da CBF em abril de 2019 - Lucas Figueiredo/CBF
Edu Gaspar e Juninho Paulista durante evento da CBF em abril de 2019 Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Bruno Grossi, Danilo Lavieri, Marcel Rizzo e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

08/07/2019 14h29

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) trata Juninho Paulista como substituto ideal para Edu Gaspar no cargo de coordenador de seleções. Para muitos na entidade e no mercado da bola, esse é um movimento já sem volta. Resta um passo a ser cumprido, uma conversa com o técnico Tite, mas o UOL Esporte apurou que o comandante não se oporá nem interferirá no processo.

O nome de Juninho ganhou força ainda em janeiro, quando despontou a possibilidade de Edu se tornar executivo de futebol do Arsenal, clube inglês onde jogou na década passada. Bem relacionado com Rogério Caboclo, que tomaria posse como presidente da CBF em abril, Juninho também tem o apoio do diretor de marketing da entidade, Gilberto Ratto.

Foi por esses caminhos que o ex-meia foi ganhando espaço nos últimos meses, inclusive sendo contratado para liderar a diretoria de desenvolvimento do futebol brasileiro. No cargo desde abril, Juninho tem recebido muitos elogios internos e é visto como a opção mais completa e preparada para substituir Edu Gaspar, que já não andava com tanto prestígio na CBF.

A ideia agora é conversar com Tite para oficializar a escolha. O técnico quer permanecer na seleção brasileira até o fim do contrato, que termina com a Copa do Mundo de 2022. A reportagem apurou que o comandante vê Juninho com bons olhos, e não pretende interferir em nenhuma etapa do processo de escolha pelo novo coordenador, que ficará a cargo da CBF. A visão é de que o profissional concilia experiência como jogador e com gestão, e tem boas referências no mercado. Na escolha de eventuais novos membros da comissão técnica, aí sim o treinador devee participar mais diretamente do processo para poder trabalhar com profissionais de confiança e com ideais alinhados com os seus.

Pesa a favor de Juninho um tempo maior de experiência como gestor no futebol. Ele esteve à frente da modernização do Ituano por dez anos e chegou a conduzir a equipe do interior de São Paulo ao título do Campeonato Paulista em 2014, com atuação administrativa, mas também próxima ao dia a dia do futebol.

Falar outros idiomas também pesa a favor de Juninho, que jogou na Inglaterra e na Espanha e teria de controlar a logística de amistosos junto da Pitch, a empresa que tem os direitos sobre os jogos internacionais da seleção brasileira. A ideia é conseguir confrontos de maior peso para o Brasil fora das Eliminatórias, mas isso implica em se adequar ao calendário das seleções europeias e não disputar amistosos no próprio país.

Após o fim da partida de ontem contra o Peru, com o Brasil campeão da Copa América, Edu Gaspar abraçou colegas da comissão técnica e chorou bastante. Ainda no Maracanã, durante entrevista coletiva, o auxiliar técnico Cleber Xavier foi o primeiro a confirmar a saída de Edu para ser executivo do Arsenal. Caboclo, durante a festa do título, evitou falar sobre nomes.

Seleção Brasileira