Topo

Esporte


Vice do Barça diz que interesse por retorno parte de Neymar e faz ressalva

Jean-Paul Pelissier/Reuters
Imagem: Jean-Paul Pelissier/Reuters

Do UOL, em São Paulo

27/06/2019 08h37

Em meio a notícias principalmente da imprensa espanhola sobre a possibilidade de Neymar retornar ao Barcelona, o vice-presidente do clube catalão, Jordi Cardoner, disse que o possível interesse por uma transferência parte do jogador.

Segundo o dirigente, o Barcelona ainda não está trabalhando na contratação e não houve contato direto com o jogador e o PSG. Jordi Cardoner, porém, tratou como notório o desejo por parte de Neymar diante do que acompanha na imprensa.

"Parece certo que Neymar quer voltar ao Barcelona. Mas não é correto dizer que o clube está preocupado em contratá-lo. Existe uma possível vontade do jogador. Por parte da mídia aceleraram uma notícia de que temos que decidir e que não sabemos se um acordo virá ou não. Temos que deixar claro que não estamos assinando com ninguém atualmente. Neymar é um jogador que não contatamos", disse.

Jordi Cardoner ainda fez ressalvas pessoais sobre a possibilidade de retorno de Neymar. Lembrando a saída tumultuada para o PSG, o dirigente disse que tudo será avaliado e ressaltou que o brasileiro não é o primeiro jogador que quer retornar ao clube. Vale lembrar que, publicamente, o atacante não manifestou desejo de voltar ao Barcelona.

"Não me surpreende que Neymar queira voltar. Aconteceu outras vezes com Cesc (Fabregras), Piqué... Neymar é um grande jogador, mas há coisas sobre a sua partida que eu ainda não entendo. Se tivéssemos que considerar algo da vontade que nos foi transmitida, teríamos que rever muitas coisas que aconteceram e teríamos que mudar muitos cenários para o futuro", disse.

As palavras de Jordi Cardoner reforçam, como publicado pelo UOL Esporte, a postura do clube em ver com cautela uma transferência dois anos depois de uma venda de 222 milhões de euros.

Apesar de Neymar manter o prestígio e amizades no vestiário do clube catalão, há precaução em uma investida por causa do valor que precisaria ser desembolsado com a transferência e os salários do jogador, que hoje ultrapassam os patamares praticados na Espanha. Existe ainda uma dívida de 26 milhões de euros entre Barcelona e o brasileiro, referentes a um prêmio por renovação de contrato em 2016, que é motivo de disputa judicial.

Mais Esporte