Topo

Futebol


Najila diz que foi vítima de outros crimes após denunciar Neymar

Najila Trindade em entrevista à Record - Reprodução/TV Record
Najila Trindade em entrevista à Record Imagem: Reprodução/TV Record

Do UOL, em São Paulo

10/06/2019 04h00

Najila Trindade concedeu mais uma entrevista para falar sobre a acusação de estupro contra o jogador Neymar e afirmou que, após decidir denunciar o atleta e o caso ser divulgado na mídia, passou a "a ser vítima de outros crimes". Ao Domingo Espetacular, da TV Record, a modelo citou a divulgação de seu nome, perseguição e o arrombamento de seu apartamento como exemplos do que está sofrendo após o registro do boletim de ocorrência na 6º Delegacia de Defesa da Mulher, em São Paulo.

"As pessoas querem tirar proveito da minha dor, ficam me seguindo, seguindo a minha família. Eu venho sofrendo mais crimes, eu venho sofrendo...invadiram meu apartamento, estão me caluniando e inventando coisas sobre mim", disse Najila.

Outro crime apontado por Najila diz respeito à divulgação de seu nome após o registro do boletim de ocorrência. Nomes de possíveis vítimas envolvidas em casos de crimes sexuais são protegidos por lei e sua divulgação é crime.

"Eu não pensei na repercussão porque eu acreditei na lei", falou Najila ao ser questionada se não teve medo da repercussão que o caso poderia dar ao fazer a denúncia. "Foi sigilo, eu confiei na lei, apenas isso. Eu jamais pensei que fosse parar na internet, estar exposta lá. Nunca imaginei, até porque isso é um crime", continuou.

A modelo reafirmou que teve seu apartamento em São Paulo invadido e que pertences pessoais foram levados. Em seu depoimento na sexta (07), Najila disse que um tablet onde estava a íntegra do vídeo que gravou de Neymar em Paris foi roubado na ocasião.

"Meu apartamento foi arrombado, tem marcas. Ninguém sabe e ninguém viu, não tem câmera de segurança. Um complô contra mim. Todas as coisas de valor... Tudo sumiu. Eu não sou de ferro, isso foi o máximo, o que mais querem de mim? Eu já estou com trauma suficiente. Eu quero ficar em paz", falou.

A polícia investiga o suposto arrombamento no apartamento de Najila. O síndico do condomínio registrou boletim de ocorrência para dizer que não houve invasão ao local. A perícia encontrou sinais de arrombamento leve, mas não é possível dizer quando o fato aconteceu. As únicas impressões digitais na porta do apartamento da modelo são de pessoas de seu convívio social.

Questionada pela reportagem da Record sobre o suposto sumiço do tablet, Najila respondeu: "Não quero falar sobre isso". Perguntada sobre o que mostraria o restante do vídeo do segundo encontro com Neymar, a modelo também não quis responder.

Najila afirmou que tem usado medicamentos constantemente para não ver o que está acontecendo. "Eu me dopei, tomei remédio, muito remédio, ignorei tudo e vivi a base de medicação. Quando acordava, vinham flashes das pessoas falando coisas sobre mim e cada vez eu queria me dopar mais, porque está tudo distorcido, errado. Eu queria gritar".

"Eu só sei que minha vida está um pesadelo. Só vem piorando. Eu cheguei no Brasil e cada vez mais eu fico pior. Cada vez mais as coisas saem do controle e as pessoas não têm respeito pela minha dor, a dor do meu filho", continuou.

A modelo falou ainda que estava com a conta do Instagram desativada até janeiro de 2019 e que se arrepende de ter voltado à rede social. Najila conheceu Neymar após mandar um texto ao jogador pelo Instagram em fevereiro. "Eu nunca teria reativado meu Instagram. Estava desativado. Eu não teria ativado. Eu não teria ativado meu Instagram e teria deixado desativado desde janeiro e estaria vivendo minha vida em paz. Tudo isso não estaria acontecido", comentou.

Mais Futebol