Topo

Futebol


Como a TV aberta alimentou roteiro de novela e passou a ditar caso Neymar

Cena de Najila Trindade sendo carregada pelo advogado virou parte de show da mídia - REUTERS/Amanda Perobelli
Cena de Najila Trindade sendo carregada pelo advogado virou parte de show da mídia Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli

Felipe Pereira e Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

08/06/2019 04h00

O Brasil parou há uma semana desde que o escândalo de Neymar veio à tona após Najila Trindade fazer uma acusação de estupro, revelada pelo UOL Esporte, contra o jogador. A cada dia, novos capítulos da história são acompanhados por todo o país em horário nobre na televisão aberta, que passou a ditar os rumos do caso e ajudou a transformá-lo em um show midiático.

Desde sábado, os programas mais populares da TV aberta travam um guerra para contar a história mais saborosa. Apresentadores tarimbados como Luiz Bacci, José Luiz Datena e Roberto Cabrini disputam a preferência do controle remoto em uma disputa "cabeça a cabeça", transformando o caso em um show, seja pela relevância da pauta ou pela grandeza do personagem. E conseguem pautar sua audiência. Nas ruas não se fala em outro assunto.

Do outro lado, cada notícia mínima - seja um print de WhatsApp, um frame de vídeo ou cenas gravadas em celular - é estrategicamente repassada pelas equipes dos dois protagonistas, Najila Trindade e Neymar, com o objetivo de ganhar apoio popular, espalhar a informação para o maior número de pessoas e assumir as rédeas da narrativa mais maratonada que Netflix sem spoiler no domingo à noite.

O escândalo surgiu no último sábado à tarde. Logo depois, Neymar pai entrou em ação para defender o filho ao vivo. Participou por telefone do Brasil Urgente, de José Luiz Datena, dizendo que se tratava de uma armadilha. Na segunda-feira de manhã estava no "Aqui na Band", com Silvia Poppovic e Luis Ernesto Lacombe. No programa, Neymar pai fez propaganda do Instituto Neymar e até se viu entre panelas de fogão com os apresentadores. O entrosamento não era por acaso. O responsável pela atração, Vildomar Batista, é diretor artístico do instituto que leva o nome do acusado de estupro. Estava tudo realmente em casa. Ou na cozinha.

A participação na Band era só o começou de como a cobertura televisiva teria protagonismo no decorrer do inquérito policial. Até então, Neymar dominava os holofotes, o que foi impulsionado também por seu manifesto no Instagram no sábado à noite. Já Najila permanecia em silêncio e sob anonimato, já que seu nome não poderia ser divulgado por se tratar de uma vítima.

O caso ganhou um outro capítulo na segunda-feira, também na televisão aberta, quando a TV Globo apresentou um personagem inédito até então: o advogado José Edgard Bueno, que representou Najila no início do caso. Uma longa reportagem no Jornal Nacional revela a ruptura dos dois e expõe conversas particulares. Ele a acusa de estar mentindo e diz que deixou o caso porque a modelo havia relatado a ele agressão, não estupro, como fez no boletim de ocorrência. A matéria ainda mostra que José Edgard havia procurado Neymar pai em uma tentativa de acordo. O estafe do jogador diz ter sido vítima de uma tentativa de extorsão, mas o advogado afirma que foi atraído para uma armadilha.

Quarta-feira "bomba": Najila mostra o rosto

A quarta-feira foi o dia mais bombástico desde que o caso foi revelado. Era tanta reviravolta que fazia inveja às séries mais viciantes da Netflix. Teve o print da gravação feita por Najila no quarto do hotel em Paris sugerindo um chute em Neymar. O vídeo não demorou a aparecer. Os telejornais da Record e da Band publicaram. A parte mais comentada foi a modelo agredindo Neymar a tapas e com palavras.

"Mas eu vou te bater. Sabe por quê? Porque você me agrediu ontem". Como tudo viraliza, logo os grupos de WhatsApp espalhavam as imagens.

O contragolpe do SBT foi o troféu maior da cobertura até aqui, o momento que marca a reviravolta: Roberto Cabrini levou ao ar o trecho de uma entrevista exclusiva com Najila. Ela apareceu no canal de Silvio Santos afirmando para todo o Brasil que houve estupro. "Ele [Neymar] me virou, cometeu o ato, e eu pedi para ele parar. Enquanto ele cometia o ato, ele continuava batendo na minha bunda". Era a primeira vez que o nome Najila, que já tinha sido citado anteriormente, mas de forma ilegal, poderia ser divulgado oficialmente.

O Grupo Globo estava discreto na cobertura até então. Quando apareceu, foi de uma maneira que poucos apostavam. Longe do protagonismo de furos e revelações das rivais, William Bonner leu um editorial anunciando a saída do jornalista esportivo Mauro Naves da cobertura da Copa América. E sim, tinha a ver com o escândalo. A emissora disse que o repórter tinha passado o contato de Neymar pai para o primeiro advogado de Najila e que isso feria o código de ética da empresa. Mas, depois, surgiram informações de que o motivo seria mais importante: o repórter teria tido um papel auxiliar na negociação entre o advogado e Neymar Pai.

A Copa América acabou para o repórter e para Neymar. O atacante sofreu, naquela mesma noite, uma ruptura ligamentar no tornozelo direito durante o amistoso contra o Qatar em Brasília. Ele chegou no banco de reservas chorando. Horas depois, foi cortado da seleção brasileira.

A quinta-feira teve um único fato, mas foi impactante: a troca de mensagens entre Najila e Neymar no dia seguinte ao suposto estupro. Neymar já tinha mostrado a sua versão em vídeo publicado pelo Instagram horas depois do anúncio da denúncia, mas a versão, agora, era a de Najila, com mensagens apagadas da primeira conversa.

Luiz Bacci , na Record, leu com voz pausada e criando drama na conversa que os dois mantiveram. O diálogo ganhou o Brasil e todo mundo fez sua própria análise.

A sexta-feira também foi um dos dias mais aguardados desse início de investigação desde quando foi anunciado que Najila Trindade iria depor na Sexta Delegacia da Mulher, em Santo Amaro - local em que fez a denúncia. Centenas de jornalistas compareceram ao local para vê-la em público pela primeira vez e fizeram plantão por mais de cinco horas. Helicópteros e drones sobrevoavam o céu e fotógrafos se dependuraram em árvores em busca da melhor imagem.

Sexta de cinema: Najila carregada e "perseguição"

Mas o ponto alto da espetacularização da notícia foi quando Najila deixou o local carregada e nos braços do advogado Danilo Garcia de Andrade. A modelo passou mal e foi levada em uma viatura a uma Unidade Básica de Saúde próxima à Cidade Dutra para receber atendimento. Enquanto a viatura cortava a cidade, helicópteros e motocicletas da TV Record acompanharam o trajeto e exibiram a "perseguição" ao vivo na televisão.

Foi a televisão aberta quem também deu uma das informações mais aguardadas até o momento da cobertura. O teor do depoimento de Najila na delegacia e onde se encontra o vídeo completo de 7 minutos que mostra o encontro com Neymar no segundo dia em Paris. A TV Globo teve acesso ao depoimento em que Najila afirma que o vídeo estava no tablet que foi roubado do apartamento dela. O roubo do tablet virou o assunto do momento. Agora, todos aguardam as cenas do próximo capítulo da novela na TV mais próxima de você.

Mais Futebol